Professor é afastado após usar roupa que remete à Ku Klux Klan em festa de escola

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Diversidade
    Diversidade
Professor caminhou pela quadra e enfureceu os alunos - Foto: Reprodução
Professor caminhou pela quadra e enfureceu os alunos - Foto: Reprodução
  • Professor caminhou com a fantasia durante evento festivo na escola

  • A ação foi filmada por um aluno e gerou repercussão nas redes sociais

  • O afastamento foi confirmado pela Secretaria de Educação do Estado

Um professor de uma escola em Santo André, na Grande São Paulo, foi afastado nesta terça-feira (21) após circular em uma festa da instituição vestido com roupas alusivas ao grupo supremacista Ku Klux Klan. As informações são do UOL.

O caso aconteceu na Escola Estadual Amaral Vagner no último dia 8 e foi filmado. Naquela data, os alunos do terceiro ano do ensino médio podiam utilizar uma fantasia como parte dos festejos de fim de ano, assim como professores e funcionários do colégio.

As imagens mostram o docente circulando pela quadra da escola, enquanto uma aluna manifesta sua incredulidade com o episódio.

A atlética do colégio publicou comunicado informando que “no mesmo instante que o professor adentrou a quadra, (...) foi vaiado e retirado pelos estudantes e membros do Grêmio e Atlética que estavam presentes na hora do ocorrido”.

A coordenação da escola, por meio de uma página na internet, também manifestou-se contra o ocorrido e pediu desculpas “a toda comunidade da escola e também a aqueles que possam se sentir ofendido pelo traje usado por um de nossos professores em tal evento”.

No mesmo texto, o colégio explicou que o docente responsável reconheceu que a ação “foi infeliz” e enviou uma carta à direção com um pedido forma de retratação.

Demissão é anunciada

As desculpas, porém, não foram suficientes para evitar a demissão. Nesta terça, a Secretaria Estadual da Educação comunicou a decisão.

Segundo o UOL, a pasta informou que iniciou os trâmites para afastamento imediato do professor até o fim da apuração do caso e explicou que "não admite qualquer forma de discriminação e injúria racial".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos