Professor usa roupa alusiva à Ku Klux Klan e é afastado de escola em SP

·1 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um professor de história da Escola Estadual Amaral Wagner, em Santo André, no ABC paulista, foi afastado pela Secretaria da Educação do Estado após ter circulado no pátio vestido com roupa semelhante à da organização racista Ku Klux Klan.

O episódio veio à tona na noite desta segunda-feira (20), mas ocorreu em 8 de dezembro, durante a Semana Temática e da Olimpíada.

Na ocasião, professores e alunos do terceiro ano puderam escolher um traje para participar do Desfile de Fantasia. O docente foi filmado por alunos.

O professor e deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL) compartilhou a imagem em uma rede social e horas depois a atlética da escola soltou uma nota de esclarecimento.

De acordo com o texto divulgado pela escola, assim que entrou na quadra, o professor foi vaiado e retirado do local pelos estudantes e membros do grêmio e atlética que estavam presentes na hora do ocorrido.

Ele tirou a fantasia e prestou esclarecimentos à direção escolar. Segundo uma carta divulgada pela escola, o professor reconheceu a atitude inadequada e pediu desculpas.

O servidor, que é efetivo, foi afastado pela Secretaria da Educação e não retornará para as suas funções até o término da apuração preliminar.

A Diretoria de Ensino de Santo André formou uma comissão inter-racial para averiguar o caso.

A secretaria afirmou em nota que não admite qualquer forma de discriminação e injúria racial e trabalha na formação de toda a rede com a Trilha Antirracista, bem como atua na promoção de um ambiente solidário, colaborativo, acolhedor e seguro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos