Professora de 30 anos é uma das vítimas ao ataque em Saudades

·2 minuto de leitura

RIO — A professora Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos, é uma das vítimas do ataque à escola infantil Pró-Infância Aquarela, em Saudades, no Oeste de Santa Catarina. Além dela, outras três crianças e uma outra funcionária tiveram a morte confirmada pelos bombeiros. A agente educativo Mirla Renner, também foi identificada. Ela chegou a ser levada para o hospital, mas não resistiu

— Era uma pessoa muito querida. Nós estamos em choque com o que aconteceu. Disseram para nós que ela tentou defender as crianças — contou a prima da educadora Cristiane Aniecevski Krindges ao portal de notícias NSC. Segundo ela, Keli trabalhava na unidade há cerca de dez anos.

Nas redes sociais amigos e parentes lamentam a morte da docente.

" Descanse em paz minha prima Keli Adriane Aniecevski," escreveu Letícia Aniecevski.

"#ForçaSaudades

✨

Hoje perdemos uma grande companheira. Quando o LEO perde uma Líder, todos nós perdemos

.

✨

Descanse em paz Keli , que Deus conforte o coração de todas as famílias que viveram a tragédia de hoje em Saudades-SC

Nós estamos de Luto por uma amiga.", escreveu outro amigo nas redes sociais.

"Já mais quis acreditar que você estaria envolvida nessa tragédia,quando vi a notícia primeira coisa que pensei foi em você e agora vejo que você se foi.vai com deus e que Deus conforte o coração da sua família pq nada vai preencher o vazio que você deixará por te sido uma grande pessoa,muito obrigado pelo tempo em que conservamos,obrigado por tudo descansa em paz..."

"Como você sempre me dizia: Amigas de sempre para sempre.Serás minha amiga, irmã e agora a anjinha mais linda.Como sempre nos chamávamos: Maria Te Amo."

Crime

De acordo com a Polícia Militar, o suspeito invadiu a escola, entrou na sala de aula portando a arma e começou a desferir golpes nas pessoas que ali estavam. Moradores ouviram as vítimas gritarem por socorro, entraram na escola e detiveram o jovem. Ele então feriu o próprio pescoço com o facão. Ainda de acordo com a PM, ele foi socorrido no Hospital da cidade vizinha de Pinhalzinho.

No comunicado, a polícia informou ainda que "segundo populares, o homem relatou ter sofrido bullying, porém não estudou na creche" e acrescentou que não tem "mais informação sobre motivação".

Conforme a prefeitura, a escola pró-infância Aquarela atende alunos do berçário, de até três anos.

A secretária municipal de Educação de Saudade, em Santa Catarina, Gisela Hermann descreveu como uma "cena de terror" o que viu ao entrar na escola logo após o ataque.

Governadora em exercício de Santa Catariana, Daniela Reinehr decretou luto oficial de três dias no estado. No Twitter, escreveu: "Manifesto profunda tristeza e presto minha solidariedade. Determinei que o Governo dê todo o amparo necessário às famílias".