Professora assassinada em massacre no Texas é enterrada com o marido

UVALDE — A pequena cidade texana de Uvalde, no sul dos Estados Unidos, sepultará, nesta quarta-feira, uma das duas professoras assassinadas a tiros na semana passada, no massacre em uma escola de ensino fundamental, junto com seu esposo, que faleceu dias depois do ataque, deixando órfãos seus quatro filhos.

Irmã Linda García, de 48 anos, foi assassinada quando Salvador Ramos, um adolescente de 18 anos, entrou armado com um rifle semiautomático na Robb Elementary School em 24 de maio, provocando um massacre que também resultou nas mortes de outra professora e 19 crianças pequenas.

Sua tragédia foi ainda pior: seu esposo Joe, de 50 anos, morreu dois dias depois. Eles eram casados há mais de 24 anos e deixaram duas filhas e dois filhos. "Começaram sua relação no ensino médio, que floresceu em um amor lindo e gentil", afirmam os obituários de ambos.

De acordo com a descrição da vaquinha virtual criada para a família García no site GoFundMe, Joe morreu por uma "emergência médica" em 26 de maio. Em princípio, a meta era arrecadar 10.000 dólares, mas, até agora, já foram doados mais de 2,78 milhões.

"Realmente, acho que Joe morreu com o coração partido, perdendo o amor de sua vida", dizia a descrição da página de arrecadação virtual.

John Martinez, que se identificou como o sobrinho de Joe, escreveu no Twitter que ele tinha "falecido devido à dor" causada pela perda de sua esposa.

Os primeiros funerais dos estudantes mortos no ataque foram realizados nesta terça-feira. Enquanto a comunidade chorava pela morte das crianças, também crescia a indignação com a resposta demorada da polícia durante o incidente.

As autoridades têm sido alvo de intensas críticas sobre os motivos de terem levado mais de uma hora para neutralizar o atirador, uma medida que o diretor do Departamento de Segurança Pública do Texas (DPS, na sigla em inglês), Steven McCraw, admitiu que foi uma "decisão equivocada".

Segundo a emissora ABC, a polícia de Uvalde e as autoridades do distrito escolar finalizaram sua cooperação com a investigação do DPS sobre a resposta policial durante o ataque.

A tragédia, a última de uma epidemia de violência com armas de fogo nos Estados Unidos nos últimos anos, provocou apelos desesperados de distintos setores para impulsionar no Congresso uma reforma com leis mais restritas sobre a venda e uso de armas de fogo.

O de Uvalde, foi o ataque mais mortal em centros educativos desde o assassinato de 20 crianças e seis adultos em Newtown, Connecticut, em 2012.

No entanto, dias depois da tragédia, foram registrados mais de dez massacres (quando há no mínimo quatro mortes) em todo o país no fim de semana prolongado pelo feriado do "Memorial Day". De acordo com o site Gun Violence Archive, houve ao menos 132 mortes e 329 feridos por armas de fogo em todo o país desde o sábado, 28, até a noite de segunda.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos