Professora é morta com facadas e barra de ferro na casa de ex, em Goiás

Professora foi encontrada morta e principal suspeito é ex-namorado. (Foto: GettyImages)
Professora foi encontrada morta e principal suspeito é ex-namorado. (Foto: GettyImages)
  • Mulher tinha marcas de facadas e de golpes com barra de ferro pelo corpo

  • Ex-companheiro foi preso pela PRF

  • Professora foi à Delegacia da Mulher dois meses antes de ser morta

Uma professora de Uruaçu, no Norte de Goiás, foi encontrada morta com marcas de facadas e golpes de barra de ferro. A suspeita é que o crime tenha sido cometido por seu ex-namorado, que foi preso nesta segunda-feira (25), pela Polícia Rodoviária Federal.

Elenice Pereira Salgado, de 43 anos, que era professora na rede municipal de ensino foi deixada no chão da casa do ex-companheiro.

O homem, identificado como José Edilson de Souza Alves, fugiu da cidade, de acordo com o delegado Peterson Amin, e foi parado pela PRF em uma rodovia do Pará.

Segundo testemunhas, o casal discutiu um dia antes do crime. Elenice chegou a ir na Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) dois meses antes, mas preferiu não registrar ocorrência naquele momento, nem pedir medida protetiva.

A faca e a barra de ferro utilizadas no crime foram apreendidas pela Polícia Civil e encaminhadas para perícia.

O que é feminicídio?

Segundo o Código Penal Brasileiro, o feminicídio é o homicídio praticado contra a mulher pelo fato de ela ser uma figura feminina, ou nos casos de violência doméstica. Fatores como misoginia, menosprezo pela condição feminina, discriminação de gênero e violência sexual são os principais indícios do crime.

A lei do feminicídio (lei 13.104/15) não enquadra, porém, o crime a qualquer assassinato de mulheres.

Variações do feminicídio

Violência doméstica ou familiar: A lei se enquadra nos casos em que o criminoso é uma pessoa da própria família ou já manteve uma relação com a vítima. Esta é a variação mais comum no Brasil.

Menosprezo ou discriminação contra a mulher: A lei também pode ser aplicada quando o assassitado é resultante do preconceito de gênero, que pode ser manifestado pela objetificação feminina e pela misoginia.

Pena prevista para o crime

Vale ressaltar, ainda que o feminicídio é visto pelo Código Penal como uma forma qualificada de homicídio. Sendo assim, a pessoa que cometer o crime está sujeita a pegar de 12 a 30 anos de reclusão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos