Professores da rede municipal do Rio entram em greve contra aulas presenciais

O Globo
·2 minuto de leitura
Márcia Foletto / Agência O Globo

RIO — Professores da rede municipal de educação do Rio decidiram em assembleia on-line entrar em greve contra o retorno às aulas presenciais. A votação, realizada na tarde deste sábado, dia 30, terminou com aprovação de 84,5% dos 707 participantes pela permanência apenas do ensino remoto neste momento da pandemia de Covid-19.

A assembleia on-line foi convocada pelo Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro (Sepe), que na sexta-feira, dia 29, chamou os professores estaduais para votação também a respeito da volta às aulas. O grupo tambem decidiu entrar em greve de atividades presenciais por vacinação da categoria contra Covid-19.

Em comum, os grupos têm o pedido por entrarem na categoria de grupo prioritário para a vacinação, sendo incluídos na campanha de imunização após o atendimento a profissionais da saúde e idosos.

Ainda ficou decidido para o município que os profissionais convocados a partir de amanhã, segunda-feira, dia 1º, para o trabalho presencial, não devem comparecer à escola. Também foi aprovado por unanimidade a reivindicação à prefeitura do fornecimento de cartões alimentação para os alunos matriculados. Visando à melhoria do aprendizado dos alunos de maneira remota durante a pandemia, a categoria ainda pede por equipamentos eletrônicos, uma plataforma virtual pública e pacotes gratuitos de dados para profissionais e estudantes.

O calendário da rede municipal da capital prevê a volta às aulas no dia 8 de fevereiro, de maneira remota, e no dia 24 de forma presencial e opcional para alunos da pré-escola até o 2º ano. De acordo com o plano divulgado pela Prefeitura do Rio ao longo desta semana, estão sendo feitas avaliações nas unidades para atestar quais têm capacidade já neste momento de se adaptarem às novas regras para evitar a propagação do vírus no ambiente escolar. Na sexta-feira, o secretário municipal de educação, Renan Ferreirinha, demonstrou na escola Municipal Pereira Passos, no Rio Comprido, parte das adaptações.