Professores de direito da USP pedem impeachment de Bolsonaro

MÔNICA BERGAMO
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um grupo de 58 professores da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, da USP, divulgou nesta segunda (1º) um manifesto pedindo o impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O texto critica a atuação de Bolsonaro no combate à epidemia da Covid-19. Nomes como Conrado Hübner Mendes, Guilherme Guimarães Feliciano e Floriano de Azevedo Marques Neto, diretor da faculdade, aparecem entre os signatários do documento. "Diante de todos esses vícios de conduta, que agravaram sensivelmente os problemas humanitários advindos da pandemia, e ante a certeza de que tais erros continuarão sendo cometidos, doravante com o sacrifício de outras milhares de vidas, os subscritores entendem necessário e urgente que se instaure o procedimento legal para o impedimento de S.Ex.ª o presidente da República", diz o texto. "As milhões de vidas no país não podem mais ser submetidas a essas constantes ameaças. E os subscritores entendem que, a partir deste ponto, o silêncio institucional se convolará em inadmissível conivência", segue o documento. Em janeiro, um grupo de mais de 890 ex-alunos da instituição também divulgou carta pedindo o impeachment de Bolsonaro.