Profissional de saúde do Alasca apresenta quadro estável após reação alérgica à vacina da Pfizer

·1 minuto de leitura
Vacina contra Covid-19

(Reuters) - Uma profissional de saúde do Alasca que teve uma reação alérgica grave depois de tomar a vacina contra o coronavírus da Pfizer agora encontra-se estável, disseram autoridades de saúde pública nesta quarta-feira.

A reação adversa na pessoa, minutos após tomar a injeção da Pfizer na terça-feira, foi semelhante a dois casos no Reino Unido.

Os sintomas na paciente de meia-idade foram resolvidos após administração de epinefrina para tratamento de alergia, afirmou Lindy Jones, diretor do departamento de emergência onde a paciente foi tratada.

A paciente não tinha histórico de reações alérgicas, disse Jones a repórteres em um briefing virtual.

A FDA, agência que regula medicamentos e alimentos nos EUA, aconselhou as pessoas com alergias a consultar seus médicos para se certificar de que não são alérgicas a qualquer componente da vacina.

O regulador de medicamentos britânico disse no início deste mês que qualquer pessoa com histórico de anafilaxia, ou reações alérgicas graves a um medicamento ou alimento, não deve tomar a vacina da Pfizer-BioNTech contra a Covid-19.

A Pfizer informou que a vacina vem com um aviso claro de que o tratamento médico apropriado e a supervisão devem estar sempre disponíveis em caso de anafilaxia, mas que atualizaria a rotulagem da vacina, se necessário.

O New York Times divulgou pela primeira vez a notícia sobre a reação alérgica à vacina. (https://nyti.ms/3r2oESd)(Reportagem de Manas Mishra em Bengaluru)