Programa de TV argentino celebra morte da Rainha Elizabeth II: "Velha filha da p..."

Programa argentino celebrou morte da monarca - Foto: Reprodução/Canal 22
Programa argentino celebrou morte da monarca - Foto: Reprodução/Canal 22
  • Programa argentino celebrou a morte da Rainha Elizabeth II, chamando-a de "velha de merda"

  • Jornalista apresentador foi além, afirmou que a monarca era nazista e "aplaudiu Satanás" por levá-la

  • Ódio argentino tem relação com a Guerra das Malvinas, ocorrida nos anos 1980

A morte da Rainha Elizabeth II gerou comoção em diversos pontos do mundo, mas na Argentina não foram todos que lamentaram a partida da monarca na última quarta-feira (8). Um programa de televisão local, por exemplo, celebrou o ocorrido.

O episódio aconteceu durante uma atração do Canal 22, que começou com uma mensagem em letras garrafais: "Morreu a velha de merda".

Leia também

Com o programa iniciando, foi possível ver bexigas nas cores azuis e brancas, da bandeira argentina, pelo estúdio. Os participantes também usavam chapéus comemorativos e havia música de festa ao fundo.

O jornalista Santiago Cúneo, que apresenta a atração, pronunciou-se batendo palmas e disparando contra a rainha. "Morreu a velha filha da p..., terminou de uma vez por todas. Forte aplauso para satanás, que a levou. Não está mais aqui, a velha morreu", anunciou.

Cúneo seguiu com as ofensas enquanto abria uma garrafa de champagne. "Eu prometi que íamos brindar. Esse lixo britânico, esta imundice, Lúcifer, saiu do planeta Terra. E isso é uma boa notícia para todos. Por fim, morreu alguém incorreto nesta vida."

O jornalista celebrou também a morte do marido da Rainha Elizabeth II, o Príncipe Philip, em 2021, e fez duras acusações contra a monarca, chamando-a, inclusive, de "nazista".

"Já havia morrido o filho da p... do marido, agora morre ela. Estamos a pleno, festejando a morte de qualquer p... inglês de merda que faça parte dessa coroa imunda, pirata, ladra, genocida, assassina, que foi um tormento. Essa nazista filha da p..., que de pequena era admiradora de Hitler, finalmente chegou a seu fim", afirmou.

O jornal Crónica também ironizou a condição da rainha momentos antes de sua morte. Em um plantão nas redes sociais, classificou como uma notícia "tremenda" a preocupação da família real britânica com a saúde da monarca.

"Preocupa a saúde da rainha pirata. A família real viaja com urgência. Charles, devolva as Malvinas", diz o vídeo divulgado pelo veículo.

Motivo da comemoração

O ódio de muitos argentinos com a família real britânica se dá pela disputa das Ilhas Malvinas, arquipélago localizado próximo ao território argentino mas reivindicado e dominado pelos britânicos em 1883.

A Argentina considerou a ocupação ilegal e, por quase 100 anos, reivindicou a retomada do domínio do território.

Em 1982, o ditador argentino Leopoldo Galtieri ordenou a invasão das Malvinas, mas os sul-americanos levaram a pior na guerra, com a morte de mais de 600 soldados em 45 dias de batalha.

Hoje, 40 anos depois daquela invasão, as Malvinas continuam sob domínio britânico, e os argentinos seguem reivindicando sua retomada.