Programas têm centenas de bolsas de estudo em Tecnologia para negras, indígenas e pessoas com deficiência

Dois programas têm centenas de bolsas de estudo em Tecnologia disponíveis para mulheres negras, indígenas e pessoas com deficiência. As vagas são para todo o Brasil, já que os cursos acontecem virtualmente. Veja abaixo como se candidatar.

A Serasa Experian, com o apoio da startup de inclusão Wise Hands, oferece 160 bolsas de estudo gratuitas em cursos das áreas de Tecnologia e Dados para pessoas com deficiência. É preciso ter laudo médico, mais de 18 anos, e ensino médio completo para se candidatar às chances. O prazo de inscrição vai até o dia 13, no site.

A capacitação iniciará com conhecimentos básicos de Informática, possibilitando o ingresso de pessoas sem expertise em tecnologia, e avançando para desenvolvimento nas linguagens Java e Python, introdução a bancos de dados, além de metodologias ágeis. A linguagem é inclusiva e a pessoa com deficiência selecionada receberá o equipamento necessário para as aulas, bem como a tecnologia assistiva que precisar

As aulas serão noturnas, três dias por semana, permitindo o equilíbrio com compromissos profissionais e pessoais. As aulas terão início em 02 de dezembro de 2022 e a duração será de até 8 meses. Além das capacitações, os participantes também vão contar com mentorias e treinamentos realizados por funcionários da Serasa Experian para desenvolvimento de competências pessoais. Durante o curso, os bolsistas poderão se candidatar a vagas na Serasa Experian.

Em duas edições, a Serasa Experian já ofereceu mais de 120 bolsas gratuitas pelo programa, para grupos exclusivos de jovens e mulheres. Apenas um mês após a conclusão do curos, 50% dos bolsistas conseguiram emprego ou melhoraram sua situação salarial.

A PretaLab e The Walt Disney Company Brasil tem o ciclo de formação “O Poder do Futuro”, voltado a apresentar jovens negras e indígenas, através de bolsas de esutdo, a profissões das áreas de Tecnologia e Inovação. Silvana Bahia, co-diretora executiva do Olabi, organização social criadora da PretaLab, conta:

-- Estamos falando de 100 possíveis novas tecnologistas que passarão por uma formação, de oito semanas, com conteúdos introdutórios à área de TI, ministrados por profissionais negras atuantes e reconhecidas no mercado e que segue a metodologia da PretaLab - com base nos seus três pilares: conhecimento técnico, com linguagem de programação e informações sobre o mercado e carreiras na tecnologia; autoconhecimento, que aborda a identificação da mulher negra enquanto indivíduo e profissional; e autogestão, para desenvolver autonomia e soft skills.

O apoio ao projeto da PretaLab tem como inspiração para a Disney o filme Pantera Negra: Wakanda para sempre. Interessadas podem se inscrever até 11 de dezembro no site ou enviando um e-mail para pretalab@olabi.org.br. Podem participar da capacitação digital pessoas que se identifiquem como mulheres negras, com mais de 16 anos, ensino médio completo ou em curso e interesse por Tecnologia, por todo o país. O processo seletivo contará com três etapas: análise de formulário de inscrição, oficina de formação e envio de termo de interesse de participar do ciclo.