Projeto da UFF, vencedor de edital da prefeitura, prevê circuito da cerveja em Niterói

·2 minuto de leitura

NITERÓI — A coordenadoria do Curso Superior de Tecnologia em Hotelaria da UFF está desenvolvendo o projeto “Diagnóstico, qualificação e formatação para um Caminho Cervejeiro de Niterói-RJ”. A iniciativa, vencedora do edital Programa de Desenvolvimento de Projetos Aplicados (PDPA), da prefeitura, criará um circuito cervejeiro na cidade, com estratégias para que se torne um novo produto turístico.

O coordenador do projeto, Lélio Galdino Rosa, está com uma equipe formada por outros docentes e alunos da área em pesquisas de campo nas cidades de Blumenau e Florianópolis, em Santa Catarina.

— Viemos conhecer melhor como os circuitos cervejeiros daqui se organizam, para aprender e trocar experiencias. Já elaboramos um inventário de cervejarias com potencial de visitação, fábricas, bares de fábricas e outros bares, com destaque para cervejas especiais em Niterói: são mais de 60. Também levantamos as cervejarias caseiras e as ciganas. Quem optar por fazer parte do Caminho Cervejeiro Niterói será vinculado como opção junto aos atrativos turísticos da cidade — explica.

Ainda este mês, o projeto vai começar a qualificação e a capacitação dos empreendimentos e agentes envolvidos com a cultura cervejeira na cidade. Serão oferecidos cursos para aprimoramento dos serviços, oficinas e formação nas seguintes áreas: harmonização (cardápio da bebida e das especialidades gastronômicas), processos de produção, desenvolvimento da cultura cervejeira, qualificação dos ambientes de produção e consumo da bebida.

Chope solidário

Enquanto o circuito começa a sair do papel, a cervejaria Noi, na Estrada Francisco da Cruz Nunes, em Itaipu, volta a trilhar sua rota social. Ela vai realizar o primeiro Drive-Thru Solidário deste ano no próximo fim de semana, dias 25 e 26, das 10h às 14h. Os clientes que doarem dois quilos de alimentos não perecíveis ganharão um litro de chope Bionda (pilsen). Os alimentos serão doados para a ONG RioSolidário. Bianca Buzin, diretora da Noi, explica, porém, que a troca de alimentos por chope está atrelada à disponibilidade do estoque.

— Nossos restaurantes doaram cerca de 350 litros de chope para esta ação, e a empresa VF Maltes, de insumos cervejeiros, doou 700 garrafas PET de um litro. Estabelecemos o limite de dez quilos de doação para tentarmos abranger o maior número de clientes possível. Nas duas edições anteriores do Drive-Thru Solidário, arrecadamos mais de cinco toneladas de alimentos — conta Bianca.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos