Projeto de semana de trabalho mais curta é testado no Reino Unido

·3 min de leitura
Cerca de 30 empresas no Reino Unido participarão de um teste de seis meses durante o qual instituirão uma semana de trabalho de quatro dias a partir de junho (REUTERS/Phil Noble)
Cerca de 30 empresas no Reino Unido participarão de um teste de seis meses durante o qual instituirão uma semana de trabalho de quatro dias a partir de junho (REUTERS/Phil Noble)
  • Defensores desse sistema dizem que os funcionários seriam mais felizes e produtivos

  • “Mudar para uma semana de quatro dias seria uma vantagem para as empresas"

  • Ideia parece estar ganhando popularidade nos Estados Unidos

A semana de trabalho de quatro dias está sendo testada no Reino Unido. Dezenas de empresas britânicas se ofereceram para participar de um programa piloto que oferece semanas de trabalho mais curta para os funcionários. O teste de seis meses incluirá 30 empresas que concordaram em permitir que os funcionários trabalhem até 32 horas por semana sem cortar seus salários ou benefícios.

Algumas delas, que participam do piloto, podem pedir aos trabalhadores que distribuam essas 32 horas por um período de até cinco dias, segundo apuração da Bloomberg. “Mudar para uma semana de quatro dias seria vantajoso para as empresas”, disse Joe Ryle, diretor da Campanha da Semana de Quatro Dias no Reino Unido.

Leia também:

Melhor para todos, diz estudo

“Estudos mostraram que a produtividade melhora juntamente com ganhos correspondentes no bem-estar dos trabalhadores”, acrescentou à Bloomberg. Ensaios semelhantes ocorreram em outros países, incluindo Espanha, Nova Zelândia e Islândia - novos estão programados para serem executados no Canadá e na Austrália. Um teste de quatro anos conduzido pelo governo islandês e pela cidade de Reykjavik descobriu que semanas de trabalho de quatro dias levam à manutenção ou aumento da produtividade.

No verão passado, o governo islandês disse que a esmagadora maioria da força de trabalho do país - 86% - “agora está trabalhando menos horas ou ganhando o direito de reduzir suas horas [...] o bem-estar do trabalhador aumentou drasticamente em uma série de indicadores, desde estresse percebido e esgotamento até saúde e equilíbrio entre vida profissional e pessoal”, continuou o resumo, acrescentando que a receita “permaneceu neutra” durante os testes.

Ideia ganha popularidade nos EUA

Resultados semelhantes em seus próprios testes levaram o governo espanhol a oferecer subsídios para incentivar as empresas a reduzir as horas de trabalho sem corte nos salários. A ideia de uma semana de trabalho de quatro dias parece estar ganhando popularidade nos Estados Unidos. No mês passado, um grupo de parlamentares democratas no Congresso apresentou um projeto de lei que reduziria a semana de trabalho padrão de 40 horas para 32 horas. Se o projeto se tornar lei, exigirá que os empregadores paguem horas extras aos trabalhadores que excedam 32 horas por semana de trabalho.

Mais empresas podem adotar modelo

A Bolt, empresa de comércio eletrônico com sede em São Francisco, instituiu uma semana de trabalho permanente de quatro dias para os funcionários no outono passado. Ryan Breslow, CEO da empresa, disse à CNBC no início deste mês que os funcionários são mais felizes, mais eficientes e mais produtivos. “Eu não poderia imaginar administrar uma empresa de outra maneira”, acrescentou. Os defensores da semana de trabalho de quatro dias esperam que mais empresas adotem o modelo como forma de reter talentos – principalmente após a “Grande Demissão”, durante a qual milhões de americanos deixaram seus empregos.

Projeto não agrada a todos

Empregadores e economistas, no entanto, não estão tão entusiasmados com a ideia de uma semana de trabalho de quatro dias, dizendo que só beneficiará os trabalhadores de colarinho branco. Dan Hamermesh, professor de economia da Universidade do Texas, em Austin, disse que os trabalhadores braçais, cujos salários estão em declínio, optam por trabalhar mais horas para sobreviver. “É muito fácil para as pessoas sentadas em suas cadeiras dizerem: 'sim, você precisa estar em um horário de meio período ou de quatro dias e 32 horas', sem pensar em até que ponto essas pessoas querem a renda e estão dispostos a suportar as horas difíceis”, disse ao The Atlantic. “Isso é o que mais me incomoda nessa discussão, francamente. É um monte de gente abastada dizendo aos outros o quanto eles deveriam trabalhar.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos