Projeto Favela Vive lança clipe gravado na Rocinha e tem Edi Rock como um dos convidados

Amanda Pinheiro
·2 minuto de leitura

O Favela Vive chega a sua quarta edição e, desta vez, proporciona um encontro de gerações do rap brasileiro, com participações de Edi Rock (Racionais MC’s), MC Cabelinho, ADL, Kamilla CDD, Orochi e César Mc. Criado pelo ADL (Além da Loucura), grupo musical de Teresópolis, o projeto que visa reunir artistas e promover ações culturais foi produzido pela segunda vez na Rocinha e conta com um clipe que tem lançamento nesta quinta-feira, 12, no Youtube.

— Quando o Favela Vive surgiu, estávamos desmotivados por conta do contexto musical, pois o rap não chegava a mais gente. Mas vimos que deu certo e, quando a gente reúne esses artistas, há uma motivação geral para continuar trabalhando — conta Thomaz Garcia, o TG, um dos criadores do grupo.

Com uma equipe formada por 50% de moradores da Rocinha, o evento traz uma novidade: grafites interativos. Moradores podem apontar o celular para o QR Code e cada desenho direciona para um informativo com um pouco da história da comunidade.

— Essa movimentação é interessante porque aproxima o artista e faz com que os moradores enxerguem que esses talentos saem de lá — completa TG.

Para Orochi, um dos convidados, o Favela Vive oferece visibilidade aos novos artistas e aos moradores.

— Participar foi gratificante. São muitos jovens talentosos que colocam o dedo na ferida da sociedade. Além de ser uma chance de dar voz às comunidades.

Integrante do Racionais MC’S, Edi Rock acredita que o rap vive sua melhor fase:

— Não quero ser tiozão, mas tenho uma longa caminhada. E ter sido convidado pra isso foi uma honra. Vejo que além de estar renovado, o rap tem uma nova geração visionária.

Para a rapper Kmilla CDD, única mulher no clipe, essa é uma chance para impulsionar a representatividade.

— Usei meu verso para falar sobre minha vivência na Cidade de Deus e sobre minha família. Sendo a única mulher, me sinto representante de perfis diferenciados.