Projeto oferece workshops para músicos de comunidades

Karina Maia
·2 minuto de leitura
Acervo Pessoal
Acervo Pessoal

RIO — A música sempre esteve presente na vida de Jan Michel Souza Rios, de 33 anos. Por muito tempo, ela foi o ganha-pão de seu pai, através de uma loja de instrumentos que ele abriu na Cidade de Deus, comunidade onde moram, na Zona Oeste. Ocupado com a administração do negócio que acabou herdando, ele nunca chegou a investir em composições autorais ao som da viola caipira, que toca desde criança.

Com o intuito de reverter esse quadro e estimular a criatividade e produção autoral de músicos profissionais e amadores de comunidades de todo o país, nasceu o projeto Música Contemporânea nas Comunidades, com inscrição aberta até o dia 23, do qual Jan fará parte.

— Eu vivo da área musical, mas da venda de instrumentos e de aulas de música para iniciantes. Então, acabou que nunca foquei muito em composição, só na parte de interpretação, tocando músicas de outros artistas. Mas quero aprender também como explorar esse outro lado — conta Jan, que é autodidata.

Além da viola caipira, que é sua especialidade, Jan toca violão, guitarra, baixo e cavaco. Aprendeu os passos iniciais com o pai e, sozinho, deu continuidade aos estudos dos outros instrumentos que restaura e vende em sua loja, a Jan Luthier.

— Atendo muitos compositores talentosos na minha loja. Também quero aprender como se faz uma letra, se compõe uma canção.

Segundo Janaína Pires, produtora cultural e idealizadora do projeto ao lado do regente australiano Mike Ryan, o objetivo do Música Contemporânea nas Comunidades é compartilhar conhecimento e aguçar a criatividade dos participantes.

— Temos músicos incríveis no grupo que podem ajudar os jovens a mudar a percepção sobre o que é música e desenvolver a criatividade — afirma a coordenadora.

Ao todo, serão cinco workshops on-line para abordar temas como conceitos de linguagem e liberdade de criação. Entre os dias 23 de novembro e 2 de dezembro, eles serão ministrados pelo grupo multicultural de artistas formado pelo idealizador australiano Mike Ryan, o violinista búlgaro Nicolay Sapoundjivev, o pianista americano Cliff Korman; a também americana Ama Thomas, única estrangeira a participar de um "The Voice Brasil"; e pela bailarina brasileira Fernanda Dalveira.

Ao final das aulas, outros sete músicos de diferentes regiões do país se juntam ao time que ministrará os workshops, formando a Rio Art Orquestra, que se apresenta no dia 4 de dezembro, em um concerto criado com ideias dos alunos do projeto. O evento será transmitido on-line, direto do Teatro Rival, e pode ser visto pelo canal do Instagram @musicanascomunidades.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)