Prolongado por quatro meses acordo de exportação de cereais ucranianos

O acordo alcançado para permitir a exportação de cereais ucranianos através do Mar Negro vai ser prolongado por mais 120 dias e nas mesmas condições.

A informação foi avançada, esta quinta-feira através da rede social Twitter, pelo ministro das Infraestruturas da Ucrânia. Oleksandr Kubrakov fala num passo importante "na luta contra a crise alimentar mundial", que foi agravada desde que a Rússia iniciou a ofensiva contra a Ucrânia.

Até porque a chamada "Iniciativa do Mar Negro", mediada pela Turquia e que envolve a Ucrânia, Rússia e Nações Unidas, expirava esta sexta-feira.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, congratulou-se com a extensão do acordo.

Acrescentou, num comunicado divulgado pela agência de notícias France Presse, que "as Nações Unidas estão totalmente comprometidas em levar a cabo todos os esforços no sentido de ultrapassar os obstáculos que podem travar as exportações de produtos agrícolas e fertilizantes da Federação russa."

A primeira fase da iniciativa permitiu a exportação de 11 milhões de toneladas de cereais a partir dos portos ucranianos e foi vital para diferentes partes no continente africano com problemas de segurança alimentar.

O pacto também permitiu à Rússia exportar fertilizantes para os mercados mundiais.