Promotor pede cinco anos de prisão para jogadores acusados de estupro na Espanha

A promotoria de Eibar, na Espanha, pediu a condenação de dois jogadores que foram gravados tendo relação sexual com uma mulher, que não deu seu consentimento para tirar as fotos e divulgá-las nas redes sociais. O escândalo explodiu em 2016, quando o vídeo dos atletas Sergi Enrich e Antonio Luna com uma jovem viralizou. A garota abriu uma ação penal contra os futebolistas.

Na terça-feira, a promotoria e a parte civil pediram cinco na prisão para os dois jogadores e dois anos para o jogador Eddy Silvestre, que divulgou as imagens. Os três eram companheiros no Eibar na época do estupro. O Código Penal da Espanha prevê uma pena de dois a cinco anos de prisão para esse tipo de crime.

No vídeo de 17 segundos, a jovem diz aos dois jogadores "para, isso não", quando ela percebe que eles a estavam gravando enquanto mantinham relações sexuais com ela. Enrich e Luna pediram desculpas quando as imagens apareceram no Twitter, mas isso não a impediu de entrar com um processo judicial contra eles.

Enrique continua em Eibar, Luna está atualmente no Rayo Vallecano, e Silvestre no Albacete.