Promotoria pede sete e cinco anos de prisão para cantores de K-pop acusados de estupro

Louise Queiroga

A promotoria da Coreia do Sul pediu, nesta quarta-feira, uma pena de sete anos de prisão para o cantor Jung Joon Young, e cinco anos para o ex-membro do grupo de K-pop F.T. Island, Choi Jong Hoon. Ambos são acusados de terem estuprado uma mulher em março de 2016, enquanto ela estava inconsciente.

Imagens do estupro foram compartilhadas em um chat online, onde também foram divulgadas, em 2015, outras cenas de caráter sexual sem que as mulheres soubessem ou tivessem permitido sua propagação. Foram identificadas sete vítimas, segundo a emissora sul-coreana "KBS".

Também faz parte do pedido da promotoria que Jung Joon Young, de 30 anos, e Choi Jong Hoon, de 29 anos, sejam impedidos de obter empregos em instalações relacionadas a crianças e jovens por 10 anos.

"Entramos com essas demandas depois de considerar a gravidade de seus crimes e o fato de eles não terem conseguido chegar a um acordo com as vítimas", afirma o documento.

Uma audiência foi marcada no Tribunal do Distrito Central de Seul no próximo dia 29.

O caso trouxe consequências também para o cantor Lee Jong-hyun, que participava do chat online onde circularam os vídeos ilegais de atos sexuais. Ele também teria feito comentários degradantes sobre mulheres na conversa. No final de agosto, Jong-hyun anunciou sua saída da banda CNBLUE e pediu desculpas por suas palavras e ações inapropriadas.