Pronunciamento de Lula na COP27 será na quarta-feira (16)

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fará pronunciamento oficial na Zona Azul, espaço administrado pela ONU na próxima quarta-feira (16). Foto: Sergio Lima / AFP / Getty Images.
Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fará pronunciamento oficial na Zona Azul, espaço administrado pela ONU na próxima quarta-feira (16). Foto: Sergio Lima / AFP / Getty Images.
  • Participação de Lula (PT) na COP27 inclui encontro com governadores e membros da sociedade civil;

  • Na quinta-feira (17), Lula se encontrará com representantes da sociedade civil brasileira.

  • Lula também se reunirá com representantes do Fórum Internacional dos Povos Indígenas/Fórum dos Povos sobre Mudança Climática;

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fará um pronunciamento oficial na Zona Azul, espaço administrado pela Organização das Nações Unidas (ONU) onde acontecerão negociações entre os líderes mundiais, na próxima quarta-feira (16).

O compromisso faz parte da agenda do petista na 27ª Conferência do Clima ONU, a COP 27, realizada no Egito. Ele fará a declaração às 22h15, no horário de Brasília.

Mais cedo, no mesmo dia, ele participará do evento Carta da Amazônia, junto aos governadores Antônio Waldez Góes da Silva, do Amapá, Gladson de Lima Cameli, do Acre, Mauro Mendes, do Mato Grosso, Helder Barbalho, do Pará, Wanderlei Barbosa , do Tocantins, e Marcos Rocha, de Rondônia.

Na quinta-feira (17), ele se reunirá com representantes do Fórum Internacional dos Povos Indígenas/Fórum dos Povos sobre Mudança Climática.

Cria-se também a expectativa de que Lula se encontre com o secretário-geral da ONU, António Guterres, e com os presidentes Joe Biden, dos Estados Unidos, e Emmanuel Macron, da França.

O objetivo seria restaurar as relações combalidas durante a gestão do presidente Jair Bolsonaro (PL), e recolocar o Brasil no cenário geopolítico.

COP27

O evento começou no último domingo (6) e vai até próximo dia 18 de novembro, em Sharm el-Sheikh, no Egito.

O objetivo da cúpula é apresentar propostas e soluções para nações envolvidas no esforço de frear a crise climática.

Até agora, as negociações entre os países participantes se concentraram em volta da redução dos gases de efeitos estufa e do controle sobre os impactos gerados pelas mudanças climáticas.

Na próxima semana, o principal debate deve girar em volta de como as nações industrializadas, as principais responsáveis pelos problemas ambientais, arcariam financeiramente com reparos a países que mais sofrem com com essas forças climáticas.

*Com informações do Metrópoles.