Prossegue resgate de corpos de acidente que matou 48 pessoas no Peru

Por Francisco JARA, Carlos MANDUJANO
Bombeiros e socorristas na zona onde houve um acidente com um ônibus, em Pasamayo, em 2 de janeiro de 2018

Socorristas continuavam nesta quarta-feira (3) a tarefa de recuperação dos corpos em um ônibus de passageiros que caiu em um precipício de 110 metros de altura em uma rota costeira do Peru, deixando ao menos 48 mortos, informou a Polícia.

Os trabalhos a cargo de mais de 200 efetivos da Polícia, do Exército e da Marinha eram dificultados pela névoa e pela maré alta, com ondas que alcançavam os destroços do ônibus que virou ao meio-dia de terça-feira.

O veículo partiu para Lima com 55 passageiros e dois tripulantes procedente da cidade de Huacho, 130 quilômetros ao norte da capital.

"Os trabalhos de hoje também contemplam a recuperação do ônibus acidentado, para a qual está prevista a chegada de um guindaste", disse à imprensa o coronel Dino Escudero, chefe de Controle de Estradas da Polícia.

"No local há 12 corpos expostos e 12 que estão entre as ferragens retorcidas do veículo", indicou Escudero.

O diretor da Defesa Civil (Indeci), Jorge Chávez, indicou que estão instalando uma plataforma no local para "levantar o ônibus e retirar os corpos presos".

"Temos que fazer hoje o resgate dos corpos e entregá-los a seus familiares", acrescentou o responsável da Defesa Civil.

Após seis horas de resgate, o general da Polícia, Víctor Rucoba, disse à imprensa que "18 corpos foram retirados do local do acidente e ainda faltam seis a serem resgatados".

O acidente deixou ao menos 48 passageiros mortos depois que o ônibus interprovincial caiu em um precipício. A tragédia aconteceu quando um caminhão bateu no veículo.

Apenas seis ocupantes saíram com vida do acidente, que ocorreu na "curva do diabo" da estrada Pasamayo, um desvio da rota Panamericana, a 45 quilômetros ao norte de Lima.

Ao anoitecer de terça-feira, os socorristas tiveram que suspender as tarefas de recuperação dos corpos, pois as ondas aumentaram e tornaram o resgate impossível.