Protesto de índios termina em confronto com policiais em frente ao Congresso Nacional

Protesto de índios em Brasília 25/4/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino

BRASÍLIA (Reuters) - Um protesto de índios em Brasília nesta terça-feira terminou em confronto com a polícia, que usou bombas de efeito moral e spray de pimenta para dispersar os manifestantes que pediam a retomada das demarcações de terras, entre outras reivindicações, em frente ao Congresso Nacional.

De acordo com a porta-voz da campanha Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), mais de 4 mil indígenas e apoiadores protestaram pelas garantias de terras.

"Levamos mais de 200 caixões até o Congresso simbolizando o genocídio e as mortes dos povos indígenas pelo governo em aliança com o agronegócio", disse a porta-voz Sônia Guajajara.

A polícia legislativa fez um cordão de isolamento e os índios foram colocando os caixões em frente ao Congresso. Após alguns passarem a linha feita pela polícia, começou o confronto, segundo testemunhas.

Policiais militares usaram bombas de efeito moral, spray de pimenta e balas de borracha. "A violência foi brutal e não foi necessário. Estamos acostumados a isso", afirmou a porta-voz, acrescentando que ninguém ficou ferido gravemente.

Em janeiro, o governo do presidente Michel Temer alterou o procedimento para demarcação de terras indígenas, que passará a ser decidido pelo Ministério da Justiça com base na recomendação de um Grupo Técnico Especializado (GTE). [nL1N1F82NW]

A alteração foi criticada por entidades de defesa dos indígenas que acreditam que a mudança vai enfraquecer o poder da Fundação Nacional do Índio (Funai) na demarcação de terras indígenas.

"Estamos vivendo uma época no Brasil em que os direitos indígenas estão sendo fortemente atacados na forma de projetos de lei em andamento e medidas administrativas que dificultam regras para a demarcação de terras indígenas", disse em nota o Greenpeace, que participa com outras organizações da Semana Nacional de Mobilização Indígena, em Brasília.

(Por Anthony Boadle)