Protesto em Buenos Aires contra censura a beijo gay na Bienal do Rio

Manifestantes fazem beijaço em frente à embaixada do Brasil em Buenos Aires, em 12 de setembro de 2019, em protesto contra decisão do prefeito do Rio, Marcelo Crivella, de censurar quadrinho exibindo beijo de personagens masculinos na Bienal do livro

Um grupo de jovens protestou nesta quinta-feira com um "beijaço" diante da embaixada do Brasil em Buenos Aires contra a tentativa de censura, na Bienal do Livro do Rio de Janeiro, de uma revista em quadrinhos onde dois personagens masculinos se beijam, comprovou a AFP.

Os manifestantes se beijaram na rua e exibiram cartazes acusando o governo do presidente Jair Bolsonaro de censura.

O pedido para recolher a revista da Bienal, que deflagrou uma batalha judicial, foi feito pelo prefeito do Rio, o evangélico Marcelo Crivella.

Na história "Vingadores: a cruzada das crianças", o feiticeiro Wiccan e o guerreiro Hulkling, dois personagens dos Jovens Vingadores, se abraçam e se beijam, totalmente vestidos.

"Não é a primeira vez que ocorrem estes atos de violência institucional do governo de Bolsonaro porque há uma constante agressão a todo coletivo LGBT", disse à AFP Agustín Romero, ativista da ONG Livre Diversidade.

"Esta manifestação não é por um fato pontual e sim uma política de Bolsonaro. Antes, no Rio, já havia ocorrido o assassinato de Marielle Franco", destacou Micaela Escobar, da Livre Diversidade.