Protestos adiam inauguração da nova Assembleia Constituinte do Chile

·1 minuto de leitura

SANTIAGO (Reuters) - Os trabalhos em prol da nova constituição do Chile tiveram um começo desfavorável neste domingo, após protestos dentro e fora do prédio e conflitos com a polícia forçarem o adiamento do evento.

Os problemas surgiram quando marchas organizadas por grupos independentes --de esquerda e indígenas, com delegados do órgão constitucional, assim como outros grupos de interesse-- encontraram policiais fortemente armados comandando barricadas no lado de fora do antigo prédio do Congresso em Santiago, onde a cerimônia estava sendo realizada.

Houve brigas após alguns participantes tentaram superar as barreiras, o que levou a polícia a responder com gás lacrimogêneo e canhões de água.

Os delegados dentro do evento reclamaram com os organizadores pelas táticas duras da polícia, tambores e gritos abafando uma orquestra clássica jovem que tocava o hino nacional.

Entre exigências dos delegados para que as "repressoras" forças especiais da polícia se retirassem, a autoridade da corte eleitoral presidindo a cerimônia concordou em suspender o evento até o meio-dia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos