Protestos no Equador: Governo classifica as seis mortes como "danos colaterais"

Pelo menos seis pessoas morreram e mais de cem ficaram feridas nos protestos no Equador que duram há quase duas semanas. Os manifestantes que morreram perderam a vida em confrontos com as autoridades, de acordo com organizações não governamentais.

"Lamentamos todos os danos colaterais"

O ministério da Administração Interna do Equador descreve as mortes como "danos colaterais" que não são responsabilidade da polícia.

"Lamentamos todos os danos colaterais. A Polícia Nacional é uma instituição que protege direitos, não agride, tem que defender também as liberdades do resto", disse Patricio Carrillo esta quinta-feira.

As declarações estão a causar polémica num país que está há onze dias consecutivos em protestos contra o aumento do custo de vida.

De acordo com a polícia, foram até agora detidos 94 manifestantes e mais de 70 agentes ficaram feridos nas manifestações.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos