Protestos no Líbano terminam com vários feridos

·1 minuto de leitura
Manifestantes queimam pneus em Beirute em 26 de junho de 2021

Dezoito pessoas ficaram feridas na região norte do Líbano em confrontos durante a noite entre as forças de segurança e manifestantes revoltados com a grave crise econômica, informou uma organização médica neste domingo.

Os protestos na cidade de Trípoli explodiram depois que a libra libanesa registrou uma cotação mínima histórica no mercado paralelo devido à crise financeira do país que, segundo o Banco Mundial, pode ser a mais grave no mundo desde meados do século XIX.

Os manifestantes tentaram entrar na madrugada de sábado para domingo em edifícios oficiais, incluindo uma sucursal do Banco Central, e o exército foi mobilizado para conter a multidão.

"Dezoito pessoas, entre civis e soldados, foram feridos, com quatro hospitalizações", afirmou o Corpo de Emergência e Socorro, uma organização médica local.

Alguns ferimentos foram provocados por balas de borracha e bombas de efeito moral, segundo um porta-voz da organização.

O exército afirmou que 10 soldados foram feridos em Trípoli, a maioria por manifestantes em motocicletas que lançaram bombas de efeito moral.

Também foram registrados protestos menores na capital Beirute e na cidade de Sidon (sul).

O colapso financeiro provocou indignação dos libaneses com a classe política, considerada corrupta e incapaz de resolver os problemas do país.

O Líbano está se um governo plenamente funcional desde a grande explosão no porto de Beirute em agosto, que matou mais de 200 pessoas e destruiu parte da capital.

O governo renunciou depois da tragédia e as negociações para a formação de um novo Executivo fracassaram repetidamente desde então.

tgg/ho/dwo/dbh/mis/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos