Protestos voltam ao Irão depois de execuções

Depois das duas mais recentes execuções, foi assim que um grupo de mulheres apareceu num protesto, em Londres, contra o regime do Irão: Envergando trajes tirados da série "The Handmaid's Tale", adaptada do livro de Margaret Atwood, que retrata uma sociedade em que as mulheres são meras escravas ao serviço da classe no poder.

Os dois homens agora executados pelo regime de Teerão eram acusados de ter matado um membro das forças paramilitares.

Os protestos contra o regime e pelos direitos das mulheres vão no quarto mês. Num tweet, a porta-voz da Política Externa e de Segurança da União Europeia diz que "a prática de executar manifestantes tem de acabar".

Segundo os ativistas, pelo menos 16 pessoas foram condenadas à morte em audiências à porta fechada na sequência dos protestos. Pelo menos 517 pessoas foram mortas pelas forças de segurança e mais de 19.200 foram presas.

Os protestos não esmorecem desde setembro, altura em que rebentaram devido à morte da jovem Mahsa Amini às mãos da polícia da moralidade, cuja abolição foi anunciada há cerca de um mês.