Província chinesa de Hubei registra 242 mortos do COVID-19 em um dia

Policiais chineses com trajes de proteção transportam desinfetante na província de Hubei, epicentro da epidemia COVID-19

A província chinesa de Hubei, epicentro da epidemia de COVID-19, registrou 242 novas vítimas fatais em apenas um dia e com isso elevou a mais de 1.350 o número mortos no país, informaram nesta quinta-feira (noite de quarta, 12, no Brasil) as autoridades locais.

Em um novo balanço, as autoridades sanitárias chinesas também confirmaram 14.840 novos casos de contágio em Hubei, onde a epidemia foi identificada em dezembro, elevando a cerca de 60.000 o total de portadores da doença.

O salto enorme no número de contaminados ocorre depois que as autoridades locais anunciaram que estavam mudando a forma de diagnosticar os casos do COVID-19.

Em um comunicado, a comissão de saúde de Hubei, que agora inclui na contagem de casos oficiais que foram "diagnosticados clinicamente".

Isso significa que as imagens de pulmão em casos suspeitos podem ser considerados suficientes para diagnosticar o vírus, em vez de testes padrão de ácido nucleico.

Segundo a Comissão de Saúde de Hubei, a mudança significa que os pacientes podem receber tratamento "o mais rápido possível" e ser "consistentes" com a classificação usada em outras províncias.

A entidade acrescentou que havia feito a mudança "à medida que nossa compreensão da pneumonia causada pelo novo coronavírus se aprofunda e à medida que acumulamos experiência em diagnóstico e tratamento".