Província industrial da China alerta para novos problemas de abastecimento de energia

·2 minuto de leitura
Linhas de transmissão de energia na província em Shenyang, na província de Liaoning, na China

Por Muyu Xu e Shivani Singh

PEQUIM (Reuters) - A maior economia provincial do nordeste da China alertou para o agravamento dos problemas de abastecimento de energia nesta segunda-feira, apesar dos esforços governamentais para aumentar o suprimento de carvão e administrar o uso de eletricidade em meio a uma crise energética pós-pandemia que atinge diversos países.

A província de Liaoning emitiu seu segundo alerta mais elevado de blecaute nesta segunda-feira, o quinto em duas semanas, avisando que o déficit de energia pode chegar a quase 5 gigawatts (GW).

Liaoning tem a maior economia e é a maior consumidora de energia das três províncias que compõem a região industrial do cinturão da ferrugem chinês, que sofre cortes de energia abrangentes desde meados de setembro. Um alerta de nível dois indica uma falta de energia equivalente a entre 10% a 20% da demanda total.

A retomada da atividade econômica global no momento em que as restrições do coronavírus são suspensas expõe a falta de combustíveis usados na geração elétrica na China e em outros países, o que deixa setores e governos em apuros agora que o inverno se aproxima do hemisfério norte.

"O maior desabastecimento de energia poderia chegar a 4,74 gigawatts (GW) no dia 11 de outubro", disse um informe publicado pelo Departamento Provincial da Indústria e da Informatização de Liaoning.

Uma ordem para restringir o uso de eletricidade entrou em vigor às 6h do domingo, acrescentou o informe.

A província também emitiu dois alertas de nível dois em cada um dos três últimos dias de setembro, quando a falta diária de energia chegou a 5,4 GW, deixando centenas de milhares de lares sem luz e obrigando usinas industriais a suspenderem a produção.

A queda de produção das usinas de energia veio na esteira da restrição do suprimento e da disparada do preço do carvão, usado para gerar mais de 70% da eletricidade da região. Fazendas eólicas também estão paradas devido à velocidade baixa dos ventos --a energia eólica representou 8,2% da geração de energia de Liaoning em 2020.

A crise energética, que causa escassez de combustíveis e falta de energia em alguns países, sublinha a dificuldade para se diminuir a dependência da economia global dos combustíveis fósseis no momento em que líderes de todo o mundo se preparam para tentar ressuscitar os esforços para enfrentar a mudança climática na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2021 (COP26) no mês que vem em Glasgow.

Analistas e negociantes dizem que China pode enfrentar uma queda de 12% no consumo de energia industrial durante o quarto trimestre, já que se acredita que o suprimento de carvão não bastará neste inverno.

(Reportagem adicional de David Stanway)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos