Prova do líder, do 'BBB21', não será de sorte, diz Tiago Leifert: 'Jogo quase resetou'

Extra
·2 minuto de leitura

Tiago Leifert celebrou o retorno de Carla Diaz ao "Big Brother Brasil 21". Não só pela atuação da artista como Dummie (o boneco de prova), mas também pelos rumos que o jogo ganha agora. A primeira explicação do apresentador foi sobre a prova do líder desta quinta-feira, dia 11.

"E estou muito orgulhoso da nossa escolha, do 'BBB', de não deixar a Carla Diaz voltar nem imune e nem líder. Teve acesso a um monte de informações e vai jogar, vai brigar pela prova de hoje, que não é de sorte. Tem que ganhar. Passado o êxtase do retorno, acho que agora, olhando o que aconteceu, vão entender porque tinha tanta regra na quinta-feira passada. A gente não sabia quem ia sair ou ir para o paredão. Colocamos todos para jogar a prova de hoje, porque sabemos que tem um veto, o líder poderia vetar quem votou. E o paredão é falso, queríamos dar a chance da pessoa se indicar", disse o apresentador nos stories.

O apresentador do "BBB21" recapitulou as regras da semana passada, que conta com o líder imune por duas semanas e todos os emparedados da berlinda falsa disputando a prova.

"O líder também fica imune para correr atrás do prejuízo do paredão falso. A gente precisa pensar dois movimentos na frente do paredão falso. Ele só começa a ter efeito depois que a pessoa volta. E a gente quer o jogo justo, para dar uma chance para todos se revirarem e reconstruir o jogo. Ele quase reseta depois do paredão falso."

O marido de Diana Garbin demonstrou entusiamo por ver que deu certo a estratégia de colocar pimenta no reality show.

"A gente conhece os caras, o jogo, coloca o obstáculo, nunca sabe o que eles vão fazer, se vão passar por cima, sentar no chão e chorar, se vão tacar fogo. A gente tem que pensar na melhor forma, simular, ver as chances, para o jogo ficar vivo, continuar andando da melhor forma. É legal quando a gente acerta. Não é sempre que acertamos, mas estou aliviado que entre tantas variáveis deu certo".