Prova de vida do INSS: no Rio, 279 mil pessoas correm o risco de perder o benefício

·4 min de leitura

No estado do Rio de Janeiro, 279 mil pessoas deixaram de fazer a prova de vida do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), no município esse número chega a 180 mil, de acordo com dados do Sistema Único de Informações de Benefícios, competência de novembro de 2021. A falta de recadastramento leva a bloqueio e suspensão do pagamento.

No Brasil, 30 milhões de segurados já realizaram a prova de vida este ano e cerca de 3,2 milhões estão pendentes de comprovação junto ao sistema. Além disso, 2,5 milhões ainda estão com a renovação de senha válida, em um total de mais de 36 milhões de beneficiários que precisam realizar a renovação anualmente.

O procedimento, que é feito no banco onde o segurado recebe o pagamento ou pela plataforma Meu INSS para quem tem biometria cadastrada, quando não é realizado resulta na suspensão e/ou bloqueio de pagamentos de aposentadorias e pensões. E a partir de 2022 deverá ser feito sempre no mês de aniversário do segurado.

Nesta semana, o INSS publicou a Portaria nº 1.400 que traz novidades para o ano que vem. Entre as mudanças, fica definido que os bloqueios, para quem não fizer a prova de vida no mês de aniversário, no período de janeiro a junho de 2022, serão realizados a partir de julho de 2022.

De acordo com o cronograma, para o segurado que deveria ter feito a prova de vida até dezembro de 2020 a data-limite é fevereiro de 2022. Já para quem deveria ter realizado o recadastramento de janeiro a junho de 2021, o prazo é março de 2022, e assim sucessivamente.

Os demais segurados que realizaram a prova de vida dentro do prazo, segundo o INSS, devem seguir a data de nascimento para fazer a nova comprovação neste ano.

Aviso no autoatendimento do banco

Como para a grande maioria dos segurados a prova de vida é feita nos bancos, em geral os beneficiários são informados da necessidade de atualização cadastral pelos terminais de autoatendimento das agências bancárias ou nos guichês.

Caso haja a perda do prazo da comprovação e a suspensão do pagamento, o benefício poderá ser cassado após seis meses, se a prova de vida não for feita neste período. Ainda assim, é possível recuperar o pagamento. Neste caso, será preciso solicitar a reativação pelo Meu INSS ou no banco onde o segurado recebe o benefício.

As pessoas com mais de 80 anos de idade ou que não tenham condições de se locomover podem solicitar a visita de um servidor do órgão para a realização da prova de vida anual domiciliar ou hospitalar. O pedido pode ser feito pela central telefônica 135 e pelo aplicativo ou portal Meu INSS pelo segurado ou pelo representante legal.

Antes de se deslocar até sua agência bancária, o INSS orienta o cidadão a conferir se seu banco oferece alternativas, como a realização da prova de vida em caixas eletrônicos, aplicativos para celular ou internet.

Mês original x data-limite para realização

Até dezembro/2020 - Fevereiro/2022

Janeiro a junho/2021 - Março/2022

Julho e agosto/2021 - Abril/2022

Setembro e outubro/2021 - Maio/2022

Novembro e dezembro/2021 - Junho/2022

Os aposentados, pensionistas e beneficiários de auxílios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) vão voltar a fazer a prova de vida anual agora em janeiro, inclusive os que deixaram de realizar o procedimento desde dezembro de 2020. É importante destacar que, a partir deste ano, a atualização cadastral será feita levando em conta o mês de aniversário do segurado. Se ela não for realizada no mês indicado, o pagamento poderá ser bloqueado ou suspenso pelo órgão.

É possível solicitar a reativação do benefício cassado pelo Meu INSS. Para começar, é preciso criar login e senha para acessar a plataforma. Já no ambiente virtual do instituto, selecione o ícone “Meus benefícios” e cheque se ele está cassado ou suspenso. Na barra de busca, clique em “Reativar benefício”. Logo depois, atualize os dados cadastrais e clique em “Avançar”. Preencha os dados solicitados para concluir o requerimento.

Nos casos em que os aposentados e os pensionistas têm biometria facial cadastrada nos bancos de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e dos Departamentos de Trânsito (Detrans), o recadastramento pode ser feito de forma digital (via selfie), no aplicativo Meu INSS.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos