PSDB adia data de prévias, mas modelo de escolha de candidato a presidente segue indefinido

·1 minuto de leitura

A Executiva Nacional do PSDB decidiu nesta terça-feira adiar para o próximo dia 15 a decisão sobre o formato das prévias para a escolha de um candidato ao Planalto em 2022. O processo eleitoral que seria em 17 de outubro foi transferido para 21 de novembro em razão da pandemia da Covid-19.

O partido se opôs a proposta de voto direto de todos os 1, 3 milhão de filiados, conforme defendia o governador de São Paulo João Doria. No entanto, agora seus aliados tentam aumentar o peso do voto dos filiados em relação aos daqueles que têm mandatos.

Na reunião, que foi marcada por trocas de farpas entre o grupo político do governador de São Paulo, João Doria, e o seu desafeto e deputado mineiro Aécio Neves, foram apresentados dois destaques que alteram a proposta original, aprovada na semana passada por uma comissão do partido e cujo teor dava mais peso a quem tem mandato eletivo do que os filiados.


Hoje, o diretório de São Paulo apresentou proposta para que todos os votos dos filiados tenham peso de 50% e dos mandatários (parlamentares, prefeitos e governadores), também de 50%. O grupo de Doria chegou a propor que esse destaque fosse apreciado hoje, mas também acabou derrotado pelo voto da maioria,

A segunda proposta, apresentada por Minas Gerais, mantém a divisão do colégio eleitoral em 4 grupos, com peso de 25% cada, num modelo semelhante a da proposta original.No entanto, acrescenta as executivas estaduais no segundo grupo, que é o de prefeitos e vices. O primeiro grupo seria o de filiados. Os demais seriam de vereadores e deputados estaduais e o último de governadores, vices, comissão executiva, senadores e deputados federais.