PSDB gaúcho reage a plano de Doria de controlar partido e aponta autoritarismo de governador

FÁBIO ZANINI
·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 17.01.2021 - O governador de São Paulo, João Doria. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 17.01.2021 - O governador de São Paulo, João Doria. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A ação de João Doria para dominar o PSDB, revelada pelo jornal Folha de S.Paulo, gerou reação imediata da ala gaúcha da legenda, que tem no governador Eduardo Leite a principal ameaça ao projeto presidencial do paulista.

Em conversas com aliados nesta terça-feira (9), Leite deixou claro que não aceitará passivamente o rival tomar o partido.

“Lamento decisões de cima para baixo. Se criticamos o autoritarismo de Bolsonaro, não podemos ter atitude igual”, diz o deputado federal Daniel Trzeciak (PSDB-RS), aliado do governador gaúcho.

O também deputado Lucas Redecker (PSDB-RS) criticou a antecipação do debate eleitoral e defendeu a continuidade de Bruno Araújo na presidência do partido.

Para ele, o sucesso do governador de São Paulo na questão da vacina é um mérito inegável, mas não é determinante para escolha do candidato presidencial. “O que conta é o desempenho em quatro anos de mandato”, diz.