PSDB-SP reage com ação em prévias, e Doria e Eduardo Leite são chamados de imaturos

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, BRASIL, 31-07-2021: Inauguração após a recuperação do Museu da Língua Portuguesa. Na ocasião estavam presentes o governador da cidade João Doria (Psdb), o presidente de Portugal  Marcelo Rebelo de Sousa, o prefeito da cidade Ricardo Nunes entre outros. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, BRASIL, 31-07-2021: Inauguração após a recuperação do Museu da Língua Portuguesa. Na ocasião estavam presentes o governador da cidade João Doria (Psdb), o presidente de Portugal Marcelo Rebelo de Sousa, o prefeito da cidade Ricardo Nunes entre outros. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)

SÃO PAULO E MOGI DAS CRUZES, SP (FOLHAPRESS) - O PSDB de São Paulo entrou com representação na comissão das prévias do partido para que 32 filiados de outros estados também não possam votar nas eleições que definirão o candidato da legenda ao Planalto. O pedido paulista se refere aos diretórios do Rio Grande do Sul, Bahia e Minas Gerais.

A ação é uma reação à decisão da comissão para prévias do PSDB que, na segunda-feira (1º), determinou que nenhum dos 92 prefeitos e vices de São Paulo que estão no centro de acusação de suposta fraude do diretório paulista poderão participar do processo de seleção do candidato presidencial da sigla.

A decisão foi tomada de forma unânime e é uma vitória do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, principal oponente do tucano na disputa. Foi o diretório gaúcho, juntamente com os de Minas Gerais, Bahia e Ceará, apoiadores de Leite, que protocolaram a denúncia. Ainda cabe recurso.

"Apresentamos representação para a comissão de prévias do PSDB referente a 32 filiados do RS, BA e MG que tiveram seu registro no TSE no mês de outubro com data retroativa de março. A regra vale para todos", escreveu no Twitter Marco Vinholi, secretário estadual de Desenvolvimento Regional e presidente do PSDB-SP.

À reportagem, logo após o anúncio da comissão, Vinholi falou sobre as perspectivas da campanha para as prévias. Segundo ele, a decisão "impacta centenas em todo o Brasil, portanto em todas as campanhas tem reflexos, não alterando a condição eleitoral".

Vinholi, que é aliado de João Doria, afirmou que ainda não conversou com o governador sobre a decisão do partido.

Sobre a possibilidade de recorrer do impedimento aos 92 filiados paulistas de votar nas prévias, o presidente do PSDB-SP afirmou que a decisão engloba filiados paulistas, "mas também no RS" e abre a possibilidade para que todos os interessados em participar do processo e tenham sido registrados após o dia 31 de maio "apresentem petição ao Presidente Nacional do partido" para recorrer da decisão.

O diretório paulista também ressaltou que que a decisão da comissão "não tem nenhuma relação com fraude ou irregularidade, e sim com a permissão de participação no processo eleitoral dos filiados".

A campanha de Doria afirma que ele segue na liderança consolidada e que a decisão da comissão "em nada muda esse cenário".

"Desde que questionada a participação desses filiados nas prévias, já não contabilizávamos tais votos. A mesma Comissão aponta que não houve irregularidades", diz a nota, que em outro trecho "reafirma seu compromisso com eleições democráticas pelo voto dos tucanos".

As regras das prévias tucanas determinam que apenas filiados até 31 de maio deste ano podem participar da votação. Os apoiadores de Leite apontam que esses 92 políticos foram filiados posteriormente e registrados no sistema do partido com datas retroativas. A decisão da comissão das prévias foi comemorada pelo governador gaúcho.

"Louvo a comissão provisória das prévias que agiu para manter o jogo eleitoral dentro das regras acordadas. E espero que, daqui pra frente, a disputa democrática pelo voto dos tucanos também mantenha o PSDB unido e forte", disse Eduardo Leite, em nota.

Correndo por fora na disputa, o ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, classificou o embate entre Leite e Doria como falta de maturidade, futrica e tempestade em copo d'água.

"Acho que fizeram muita tempestade em copo d´água", disse Virgílio, que completou: "De futrica em futrica, o PSDB vai perder sua chance".

Ex-prefeito de Manaus também reclamou da lisura do processo. Ele conta que sua assessoria foi procurada nesta segunda-feira por um deputado de Minas Gerais, reduto de Aécio Neves, que aconselhou sua campanha a não perder tempo buscando votos no estado, pois lá o diretório estava fechado com Leite.

"Fica criando uma imagem do governador Eduardo Leite, que não tem nada a ver com isso, que é ruim. De um caudilho gaúcho", afirmou.

"De mesquinharia em mesquinharia, a gente destrói o partido", disse ainda, defendendo que as prévias devem servir para unir o partido e não para destruí-lo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos