PSG descobre vida sem Neymar antes do principal jogo da temporada

1 / 2
O atacante Neymar, do PSG, em Saint-Germain-en-Laye, em 6 de setembro de 2017

Depois de provocar maremoto no mercado de transferências, o Paris Saint-Germain parecia preparado para sonhar mais alto. Mas depois do empate sem gols contra o Montpellier no sábado, a equipe descobriu a vida sem Neymar, três dias antes da prova de fogo contra o Bayern de Munique.

- Neymar dependência? -

A partida contra o Montpellier foi a primeira sem Neymar desde sua contratação. O camisa 10 não foi relacionado para se recuperar de pancada no pé direito.

O resultado levanta dúvidas se o PSG começa a sofrer de dependência de sua principal estrela, onipresente no campo de ataque. Até agora, foram quatro gols e quatro assistências nos primeiros cinco jogos com a camisa da equipe.

Sem Neymar, o time parisiense não encontrou o caminho para as redes.

"Barcelona sem Messi é menos forte, assim como o Real Madrid sem Ronaldo", indicou o italiano Marco Verrati ao Canal +.

"Não se pode criar uma dependência de Neymar, mesmo sendo um jogador excepcional", acrescentou o zagueiro belga Thomas Meunier. "Temos jogadores que podem fazer a diferença e tirar o time de uma situação complicada", destacou o defensor.

- Primeiro empate da temporada -

Ainda é cedo para se falar em crise. O PSG lidera o campeonato e está invicto na competição. A partida contra o Montpellier também teve o mau estado do gramado como personagem importante para o desenrolar do jogo.

"O empate não é catastrófico", indicou Meunier, que quer "ver o copo meio cheio antes de receber o Bayern".

Mesmo gastando mais de 400 milhões de euros em contratações na última janela, o PSG não tem como vencer todos os jogos. O maior exemplo disso é o todo poderoso Real Madrid de Zinedine Zidane, atual bicampeão da Liga dos Campeões. Os merengues venceram apenas dois dos últimos cinco jogos da Liga.

- Questões físicas -

A ausência de Neymar mostra que, apesar do grande elenco, o PSG está sendo castigado pelas lesões. Ao lado do brasileiro, os argentinos Angel Di María e Javier Pastore estão em recuperação. Destes três, os dois primeiros devem estar em condições para jogar na terça-feira.

Mais inquietante é o estado do meia Adrien Rabiot, peça fundamental neste início de temporada. O volante tem dores na perna. Além disso, o brasileiro naturalizado italiano Thiago Motta recebeu muitos golpes na última partida.

- Guerra de egos -

Antes do jogo contra o Montpellier, a semana no PSG esteve marcada pela guerra de egos entre Neymar e Edinson Cavani. Os dois protagonizaram disputa para decidir quem cobraria faltas e pênaltis contra o Lyon, no último fim de semana, e chegaram a se encarar no vestiário.

O jornal L'Equipe revelou que o brasileiro Dani Alves, também envolvido na polêmica ao entregar a bola à Neymar para o camisa 10 cobrar falta, teve a iniciativa de realizar um jantar com todo elenco para diminuir as tensões. O encontro foi na quarta-feira e os jogadores se falaram.

O L'Equipe também acrescentou que Neymar teria pedido desculpas à Cavani por seu comportamento diante do Lyon.

E tudo isso antes do duelo mais importante do ano até aqui, contra o poderoso Bayern de Munique, pela tão sonhada Liga dos Campeões.