Psiquiatra Marcelo Arantes relembra 'BBB 8', que ganhou fama de 'vilão': 'Acham que congelei no tempo, não evoluí'

·1 min de leitura

Já se passaram 14 anos desde que saiu da casa do "Big Brother Brasil 8", mas doutor Marcelo ainda se vê lembrado pelo programa. O que, para ele, não há problema. Mas virou motivo de "análise" nas redes sociais ao dizer que o reality show está presente ainda nos mínimos detalhes. E exemplificou com uma situação do hospital em que trabalha:

"Gente, são 14 anos e ainda mandam a comida do hospital para mim com um adesivo 'dr Marcelo BBB'. Isso é real", escreveu o médico.

Natural de Presidente Prudente, o paulista tinha 31 anos quando entrou no confinamento. Ficou marcado por várias discussões com os colegas, assim como por ter um grande afeto com Gyselle, a cajuína, com quem mais tarde também teve atritos. Foi considerado vilão. A imagem perdurou.

"O pior é acharem que você congelou no tempo, ainda é primitivamente a pessoa daquela época, que não evoluiu. O personagem construído na edição sobrevive, é bizarro. Já achei que tinha que desconstruir, hoje não ligo a mínima", confessou Marcelo, ao ler um comentário de fã: "Quanto vale entrar para a história?".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos