PSL escolhe nova Executiva, sem Flávio e Eduardo Bolsonaro

Natália Portinari
O presidente do PSL, Luciano Bivar

BRASÍLIA — Na manhã desta terça-feira, o PSL se reuniu e deliberou quem ficará à frente da Executiva Nacional no próximo ano. O presidente, deputado federal Luciano Bivar (PE), foi reconduzido. Já o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, foram removidos dos cargos.

Bivar comentou também os processos disciplinares que podem levar à suspensão de cerca de 16 deputados. O Conselho de Ética irá analisar os casos de forma "fatiada" a partir da semana que vem. A partir do momento em que houver suspensões de deputados, a expectativa dos aliados de Bivar é eleger um novo líder do partido na Câmara. No momento, o posto é ocupado por Eduardo Bolsonaro.— Cada um teve um comportamento diferente. O Conselho de Ética está analisando cada um desses deputados que eventualmente possam ter infringido o estatuto do partido. Existe possibilidade de punição, porque tem deputados que foram extremamente agressivos e muito difamatórios com relação ao partido.A punição vai "desde advertência até expulsão", segundo Bivar. Nesta quarta-feira, o Conselho de Ética deve se reunir para ouvir a defesa de todos que foram notificados, diz o presidente do PSL.