PSOL representa contra Ricardo Barros na Câmara e caso irá ao Conselho de Ética

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O presidente nacional do PSOL, Juliano Medeiros, enviou à presidência da Câmara requerimento de abertura de processo contra o deputado Ricardo Barros (PP-PR), por quebra de decoro parlamentar. O partido defende a perda do mandato do líder do governo na Câmara.

O pedido tem como base o depoimento do deputado Ricardo Miranda (DEM-DF) à CPI da Covid-19, no qual aponta Barros como o parlamentar citado por Jair Bolsonaro, numa conversa que tiveram no Palácio do Alvorada.

Miranda contou que Bolsonaro citou Ricardo Barros como o parlamentar que queria fazer "rolo" no Ministério da Saúde.

O pedido do PSOL associa o nome de Barros a aquisição de compras da vacina Covaxin e de ter indicado nomes para o ministério que estão citados na CPI como supostos envolvidos numa compra indevida dessas vacinas.

"Tais fatos, todos já bastante relevantes e com a prova de participação do representado, são interligadas pelos depoimentos dos irmãos Miranda e os documentos e provas públicos e noticiados e alguns de posse da CPI da Covid. Com a instauração do devido processo de investigação no âmbito deste Conselho de Ética, poderá a Câmara dos Deputados, no exercício do poder e dever de investigar os fatos, em face do quanto já revelado e de outros elementos à serem agregados nesta representação, definitivamente declarar a quebra de decoro" - afirma Medeiros no pedido.

O pedido agora precisa ser publicado, numerado e enviado pela Mesa da Câmara ao conselho, que instaura e designa relator, que irá fazer um relatório preliminar pela aceitação ou não da denúncia. Se deve ter sequência ou não.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos