PSOL vai apresentar representação contra Ricardo Barros no conselho de ética da Câmara dos Deputados

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO*** BRASILIA, DF,  BRASIL,  07-10-2020: O líder do governo na Câmara Ricardo Barros (PP-PR). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO*** BRASILIA, DF, BRASIL, 07-10-2020: O líder do governo na Câmara Ricardo Barros (PP-PR). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A bancada de deputados do PSOL vai apresentar uma representação contra o líder do governo Jair Bolsonaro, Ricardo Barros (PP-PR), ao comitê de ética da Câmara dos Deputados. A iniciativa está sendo liderada por Ivan Valente (PSOL-SP).

Segundo disse o deputado Luis Miranda (DEM-DF) à CPI da Covid, o presidente Jair Bolsonaro teria deixado de informar as autoridades sobre denúncias de irregularidades na compra da vacina indiana Covaxin que estariam sendo coordenadas pelo líder de seu governo, Ricardo Barros (PP-PR), cacique do centrão.

Ao ser informado de possíveis irregularidades por Miranda, Bolsonaro teria dito se tratar de "coisa do "Ricardo Barros."

"Vocês sabem quem é, né? Sabem que ali é foda. Se eu mexo nisso aí, você já viu a merda que vai dar, né. Isso é fulano. Vocês sabem que é fulano", disse Bolsonaro, segundo Miranda.

A representação deve enquadrar Barros no inciso II do artigo 4º do Código de Ética Parlamentar, que descreve como conduta punível com a perda do mandato "perceber, a qualquer título, em proveito próprio ou de outrem, no exercício da atividade parlamentar, vantagens indevidas."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos