PT convida PSD para governo de transição e conselho político

A presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), anunciou nesta terça-feira que o PSD, de Gilberto Kassab, integrará o governo de transição do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva. O deputado Antônio Brito (PSD-BA) participará do conselho político de Lula durante a passagem de mandato. O PSD ainda indicará os outros nomes do partido que estarão na composição.

Simone Tebet: Alckmin anuncia emedebista como líder de área social do governo de transição

Veja nomes: Janja comandará preparação da posse de Lula, e PT escala quatro nomes para coordenar transição

"Acabo de sair de uma ótima conversa com o presidente do PSD, Gilberto Kassab. Levei o convite para que o PSD integre o governo de transição e o Conselho Político", escreveu Gleisi em seu Twitter.

O PT busca partidos de centro e de centro-direita para ampliar sua base de apoio. O PSD já havia integrado a gestão da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Durante os dois turnos da eleição presidencial deste ano, Gilberto Kassab optou por manter a sigla neutra. Mas tanto Kassab, como o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), já haviam acenado a Lula. Como parte da aliança, o petista deve apoiar Pacheco na tentativa de reeleição à presidência da Casa Alta.

Apesar do PSD não ter formalizado suporte a Lula nas eleições, o petista teve apoio de lideranças importantes do partido, como o prefeito carioca, Eduardo Paes (RJ), o deputado Marcelo Ramos (AM) e os senadores Otto Alencar (BA), Alexandre Silveira (MG) e Carlos Fávaro (PSD).

Governo de transição

A transição terá ao menos 28 grupos temáticos divididos por área e deverá ser dividida em quatro coordenações principais. Essas irão se reportar ao coordenador-geral, o vice-presidente eleito Geraldo Alckmin (PSB).

Mais cedo, a presidente do PT esteve na Câmara para convidar formalmente o MDB a participar do governo de transição, indicando um nome para compor o conselho político. Pouco depois, Alckmin anunciou que a senadora Simone Tebet (MDB-MS) também liderará o grupo sobre medidas para a área social no governo de transição. A emedebista ficou em terceiro na eleição presidencial e apoiou Lula no segundo turno.