PT diz que não foi informado sobre motivos de suspensão das contas no WhatsApp

·1 minuto de leitura
A senadora Gleisi Hoffmann

Dez contas do Partido dos Trabalhadores no Whatsapp foram suspensas por violarem os termos de serviço do aplicativo e estarem operando de forma automatizada. O bloqueio aconteceu no dia 25 de julho e até agora elas seguem inoperantes.

Os perfis são administrados pela empresa Lead Whats, que em seu site oferecia o serviço de gestão e automatização do WhatsApp para Empresas. A página está fora do ar.

O Whatsapp informou que o aplicativo não foi projetado para enviar mensagens em massa e é capaz de detectar essas práticas. Todo mês, mais de dois milhões de contas são banidas globalmente. “Continuaremos a banir contas usadas para enviar mensagens em massa ou automatizadas e avaliaremos mais profundamente as nossas opções legais contra empresas que oferecem esses serviços, como fizemos no passado no Brasil”, disse o porta-voz.

O PT alega não ter sido informado do motivo da suspensão das contas. A assessoria do partido informou que o contrato com a empresa de disparo de Whatsapp através do gabinete de Gleisi Hoffmann é referente a uma conta que divulga as ações de seu mandato na Câmara. O perfil, que também chegou a ser suspenso mas já está novamente em operação, conta com 7 mil pessoas cadastradas de forma voluntária.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos