PT fecha apoio a Baleia Rossi na disputa pela presidência da Câmara

Ana Paula Ramos
·2 minuto de leitura
Baleia Rossi é candidato de Rodrigo Maia à presidência da casa (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
Baleia Rossi é candidato de Rodrigo Maia à presidência da casa (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

Em reunião na tarde desta segunda-feira (4), o PT fechou apoio à candidatura do deputado Baleia Rossi (MDB-SP) à presidência da Câmara, em votação apertada. Em seguida, o partido anunciou a decisão aos demais partidos de oposição: PDT, PSB, PCdoB e Rede.

“O apoio a essa candidatura é centrado em torno de questões que para nós são fundamentais: a defesa intransigente à Constituição, aos instrumentos que garantem o seu funcionamento, à autonomia e independência do Poder Legislativo e a plataforma de preservação dos direitos que são fundamentais para a votação de matérias que tenham compromisso com o povo, a defesa da vacina", afirmou o deputado José Guimarães (PT-CE), líder da Minoria na Câmara.

“Essa foi uma construção importante que nós da oposição fizemos e essa reunião que selou isso é a expressão fundamental da unidade das forças de oposição que marcham com a centro-direita para buscar o caminho de independência e enfrentamento das aleivosias do presidente da República", acrescentou o petista.

Em contrapartida, o PT vai buscar uma vaga na direção da Câmara, de preferência o comando da Secretaria-Geral, o segundo mais importante. O Partidos dos Trabalhadores tem a maior bancada, com 53 deputados.

Com a adesão do PT, o grupo de apoio a Rossi, comandado pelo atual presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ), soma 269 votos, de 11 partidos - PT, PSL, MDB, PSB, PSDB, DEM, PDT, Cidadania, PV, PCdoB e Rede.

Leia também

O candidato apoiado por Jair Bolsonaro, Arthur Lira (PP-AL), conta ainda com o apoio do PP, PL, PSD, Republicanos, Solidariedade, PTB, Pros, PSC, Avante e Patriota, que juntos somam 204 votos.

No entanto, o voto é secreto e podem haver “traições” de ambos os lados na eleição que acontece no dia 2 de fevereiro. Para ser eleito presidente em primeiro turno, são necessários 257 votos, de um total de 513.

O governo de Jair Bolsonaro tem oferecido cargos e liberação de emendas em troca de votos para Lira. A Presidência da Câmara tem o poder de definir a pauta de votações, além de decidir sobre a abertura de processos de impeachment.