PT homenageia militante assassinato por apoiador de Bolsonaro

PT fez homenagem a Marcelo Arruda, militante do partido que foi assassinado por apoiador de Jair Bolsonaro (Foto: Divulgação)
PT fez homenagem a Marcelo Arruda, militante do partido que foi assassinado por apoiador de Jair Bolsonaro (Foto: Divulgação)

Resumo da notícia

  • Em reunião da coligação do PT, presidente do partido homenageou Marcelo Arruda

  • Militante petista foi assassinato por apoiador o presidente Jair Bolsonaro

  • Marcelo Arruda comemorava o aniversário de 50 anos quando foi morto por Jorge José da Rocha Guaranho

Na reunião da coligação do Partido dos Trabalhadores (PT) com as outras legendas que integram a chapa presidencial, a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, fez uma homenagem a Marcelo Arruda.

Militante do PT e tesoureiro da legenda em Foz do Iguaçu, Marcelo foi assassinado durante a própria festa de aniversário de 50 anos, cujo tema era o Partido dos Trabalhadores. O assassinato era um apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL), Jorge José da Rocha Guaranho. Ele chegou até o evento gritando o nome do presidente da República.

“Antes de começar essa reunião, eu queria dedicar essa reunião à memória do Marcelo Arruda, nosso companheiro que foi assassinado em Foz do Iguaçu. Um crime absurdo, que a ficou sem entender até agora. Com uma pessoa se dispõe a matar por diferenças políticas? Mas entendemos que isso está num contexto que está sendo, que está vindo no Brasil nos últimos anos, fruto de colocar o ódio como instrumento da política”, declarou Gleisi Hoffmann.

A presidente do PT não citou o nome de Jair Bolsonaro, mas afirmou que o presidente tem responsabilidade por um “movimento que prega o ódio”.

“Nós temos que nos posicionar firmemente contra isso, combater, e trazer a política ao seu leito natural da discussão das ideias, das lutas e programas, e não da indignação de adversários. Mas, infelizmente, nós temos no Brasil um movimento que prega isso e que é um movimento sustentado pelo presidente República atual, que, por suas posturas, gestos, palavras e sentido exatamente isso. Então, queria dedicar essa reunião à memória do Marcelo Arruda e de todos aqueles que sofreram violência política nesses últimos anos”, disse a presidente do PT.

Em seguida, todos os presentes fizeram um minuto de silêncio. Marcelo Arruda deixa a mulher e quatro filhos. Ele foi sepultado nesta segunda-feira (11).

Troca de delegada

O governo do Paraná vai trocar a delegada responsável pela investigação do assassinato de Marcelo Arruda, militante petista alvejado por um apoiador do presidente Jair Bolsonaro, durante celebração de aniversário, cuja temática era o PT. A informação é da CNN Brasil.

Quem assumirá o caso será Camila Cecconello, delegada divisional de homicídios.

Iane Cardoso é acusada pelo partido de fazer publicações antipetistas nas redes sociais. No entanto, a assessoria da secretaria de Segurança Pública do estado afirmou à emissora que a troca se dá porque “a divisional de homicídios tem mais recursos e experiência para essa situação”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos