PT pede mudança em investigação e acusa Delegada de ser antipetista

O guarda municipal Marcelo Arruda celebrava seu aniversário de 50 anos com temática do PT - Foto: Reprodução
O guarda municipal Marcelo Arruda celebrava seu aniversário de 50 anos com temática do PT - Foto: Reprodução

O Partido dos Trabalhadores (PT) vai pedir a federalização do caso que investiga a morte de Marcelo Arruda, 50 anos, tesoureiro do partido em Foz do Iguaçu, assassinado por um militante bolsonarista. A informação é da jornalista Andréia Sadi, da TV Globo.

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou que recebeu relatos de que a delegada responsável pelo caso fez publicações contra o partido nas redes sociais.

De acordo com Gleisi Hoffmann, Iane Cardoso, delegada responsável pelo caso, fez publicações em 2016 criticando o PT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ex-presidente Dilma Rousseff.

“Petista quando não está mentindo está roubando ou cuspindo”, escreveu a delegada em 2016. E usou as hashtags #foraLula e #foraPT.

Procurada pelo g1 para comentar as acusações, Iane Cardoso não comentou o caso, assim como a Secretaria de Segurança Pública do Paraná. Wagner Mesquita, secretário de Segurança Pública do Paraná, afirmou ao portal que a denúncia contra a delegada está sendo “verificadas”.

O PT quer que o caso passe a ser investigado por autoridades federal. O partido fará a solicitação ao Tribunal Superior Eleitoral e também à Polícia Federal. Gleisi Hoffmann afirmou ao g1 que o partido quer também uma campanha institucional de combate à violência durante as eleições.

Assassinato de Marcelo Arruda

O guarda municipal Marcelo Arruda foi morto com dois tiros de arma de fogo, neste sábado (9), em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. O homem celebrava seu aniversário de 50 anos, cuja temática era o PT, quando o agente penitenciário Jorge José da Rocha Guaranho invadiu a festa e abriu fogo. Guaranho foi baleado e encaminhado para o hospital.

A Polícia Civil investiga se o crime foi motivado por discordância política. A festa de Arruda tinha como temática o PT (Partido dos Trabalhadores) e o salão de festas da ARESF (Associação Recreativa Esportiva Segurança Física de Itaipu) estava enfeitado com balões vermelhos e imagens do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O autor do crime gritou palavras de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos