'PT quis puxar tapete da nossa candidatura', diz Simone Tebet

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Candidata pelo MDB, Simone Tebet acusou o PT de agir de forma antidemocrática para tentar barrar sua candidatura ainda no 1º turno. REUTERS/Adriano Machado
Candidata pelo MDB, Simone Tebet acusou o PT de agir de forma antidemocrática para tentar barrar sua candidatura ainda no 1º turno. REUTERS/Adriano Machado

Presidenciável pelo MDB, a senadora Simone Tebet acusou o PT (Partido dos Trabalhadores) de agir de forma antidemocrática para vencer a eleição ainda no primeiro turno. Segundo a candidata à Presidência, a legenda do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tentou “puxar o tapete” da candidatura dela para “vencer no tapetão”.

A declaração ocorreu nesta terça-feira (2), durante evento realizado em São Paulo (SP) que oficializou Mara Gabrilli (PSDB-SP) como vice na chapa.

“Mara foi feliz: ‘não serve o presidente que aí está e não serve o presidente do passado’, porque também de forma antidemocrática quis o Partido dos Trabalhadores puxar o tapete da nossa candidatura”, afirmou Tebet.

“Democracia se faz no diálogo, no debate, no enfrentamento de ideias, não querendo ganhar no tapetão ou logo no primeiro turno”, concluiu a candidata ao Executivo nacional.

Tebet refere-se à estratégia adotada por Lula de reduzir candidaturas para aumentar as chances de vitória ainda no primeiro turno.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

Seguindo essa lógica, o petista já teria dialogado com Luciano Bivar (União Brasil), que desistiu da disputa pelo Palácio do Planalto, e de André Janones (Avante), que também deverá abandonar a corrida eleitoral nos próximos dias, a partir de negociações com o ex-presidente.

Simone ainda é alvo da ala lulista do MDB. Lideranças como Eunício Oliveira (CE), ex-presidente do Senado Federal, e o senador licenciado Renan Calheiros (AL) já manifestaram apoio público à candidatura de Lula para a Presidência. Oliveira participou da convenção petista realizada no Ceará, estado em que ele exerce grande influência política.

Em julho, essa mesma ala tentou barrar, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a convenção que oficializou a candidatura de Tebet. Contudo, evento foi mantido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos