PT vai ao STF contra Bolsonaro por vídeo em que ele defende 'fuzilar a petralhada'

LETÍCIA CASADO E REYNALDO TUROLLO JR.

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O PT entrou com uma notícia crime no STF contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) e a coligação com PRTB por injúria eleitoral e incitação ao crime por causa de um vídeo em que o candidato defende "fuzilar a petralhada".

"Vamos fuzilar a petralhada toda aqui do Acre. Vamos botar esses picaretas pra correr do Acre. Já que eles gostam tanto da Venezuela, essa turma tem que ir pra lá. Só que lá não tem nem mortadela galera, vão ter que comer é capim mesmo", disse Bolsonaro em evento. 

No documento, protocolado nesta segunda-feira (3), o PT afirma que "por mera divergência política, entende o candidato ser necessário o fuzilamento de toda uma parcela da população, o que representa, a um só tempo, os cometimentos dos crimes de ameaça e incitação ao crime".

O PT pede para que a notícia de crime seja enviada à Procuradoria-Geral da República para a instauração de procedimento investigatório, visando à denúncia e condenação de Bolsonaro.

A ação foi sorteada para o ministro Ricardo Lewandowski.

Na semana passada, a Primeira Turma do STF suspendeu o julgamento do recebimento de uma denúncia contra Bolsonaro, acusado de racismo em relação a quilombolas, refugiados e outros grupos.

O presidenciável já é réu em outras duas ações penais no Supremo, que tramitam em conjunto, sob a acusação de incitar o crime de estupro em um episódio em que disse à deputada Maria do Rosário (PT-RS) que só não a estupraria porque ela não merecia. 

OUTRO LADO

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) defendeu o que chamou de "figura de linguagem" ao simular uma arma com um tripé e defender "fuzilar a petralhada do Acre".

"Existe a figura de linguagem, hipérbole. Foi usado. Nada mais além disso. [...] Qual o problema? Ninguém quer matar ninguém não", disse ele, no Rio de Janeiro.

Ele se irritou quando repórteres tentaram questionar se aquele era um comportamento adequado para um candidato à Presidência.

"Não vem com esse papinho de mimimi, politicamente correto que não leva a lugar nenhum. Peguei um tripé de um colega de vocês [jornalistas], simulei uma metralhadora", disse ele.