Pub irlandês se torna clínica para animais selvagens devido à pandemia

Joe STENSON
·3 minuto de leitura

Desde o primeiro bloqueio devido à pandemia em março de 2020, o pub irlandês Tara Na Ri fechou as portas. Mas uma nova clientela foi formada com base em cisnes e raposas, tornando-se a primeira clínica veterinária para animais selvagens do país.

As salas adjacentes deste pub em Navan (nordeste da Irlanda) são o lar de uma atividade transbordante: Liam, uma cabra selvagem de duas semanas recebe leite de uma mamadeira, enquanto os cisnes montam seu ninho em velhos estábulos, uma raposa medrosa cria um cercado e um voluntário cuida de um falcão de olhos grandes.

Desde sexta-feira, a antiga adega de bebidas se tornou, graças à Associação Irlandesa de Reabilitação da Vida Selvagem (WRI), a primeira clínica veterinária do país que cuida de criaturas de todos os tamanhos e espécies, sejam quais forem seus problemas.

"Estávamos acostumados a um certo modo de vida", disse à AFP James McCarthy, cuja família é dona do pub há mais de 10 anos. "Quando ele foi tirado de nós, encontramos um vazio e demoramos um pouco para preenchê-lo, de uma forma que nunca imaginamos ser possível".

"Estamos nos preparando para a temporada de órfãos, que é nossa época mais movimentada do ano", explica o gerente de animais Dan Donoher, tentando acalmar um pombo que está se debatendo em uma mesa de exame. "Teremos muitos pintinhos e raposas, o que nos manterá ocupados nos próximos seis meses".

Na cultura irlandesa, os pubs ocupam um lugar central na vida social, onde eventos importantes são celebrado. Em áreas rurais remotas, seu papel é ainda mais importante, e o fechamento do Tara Na Ri foi um duro golpe para a comunidade local.

Mas, de acordo com Aoife McPartlin, chefe da seção educacional do WRI, a nova clínica veterinária já conseguiu substituir o bar no coração de alguns clientes, que dedicaram seu tempo para consertar as salas auxiliares.

“Nós os recebemos, eles nos acolheram”, diz ele sobre os moradores, que não pouparam esforços nem tempo para reformar o local.

- Consciência da vida selvagem -

A Irlanda, que registrou mais de 4.000 mortes por covid-19 até agora, está atualmente no meio do terceiro bloqueio, estabelecido para impedir a explosão de casos que ocorrem após um relaxamento das restrições.

Embora o país tenha passado pelas duas primeiras ondas da pandemia com relativamente poucos casos e mortes, agora tem a maior taxa de infecção per capita do mundo.

Desde o início do ano, escolas, lojas não essenciais, pubs, restaurantes, ginásios e cinemas foram fechados e os cidadãos devem ficar em casa, exceto para se exercitarem dentro de um perímetro limitado.

Situação que para Aoife McPartlin tem sua vantagem, pois com o aumento do número de pessoas que passam muito tempo na natureza, explodiu o número de animais feridos ou abandonados encontrados pelos caminhantes e encaminhados para tratamento.

“A natureza salvou muitas pessoas durante a pandemia”, enfatiza. "Eles estão mais conscientes da vida selvagem e de sua existência, e de nossa coexistência".

jts-cdu/fb/mab/zm/ap