Pumas rescinde contrato de Daniel Alves após prisão na Espanha por estupro

Clube de Daniel Alves, o Pumas, do México, anunciou nesta sexta-feira a rescisão do contrato do lateral-direito. A decisão foi comunicada em forma de pronunciamento (sem direito a perguntas) pelo presidente Leopoldo Silva e ocorre após o brasileiro ter tido prisão preventiva decretada na Espanha por agressão sexual.

- O clube Universidad Nacional tomou a decisão de rescindir por justa causa o contrato de trabalho com o jogador - disse Leopoldo Silva: - Com esta decisão, o clube reitera seu compromisso de não tolerar atos de nenhum integrante de nossa instituição, seja quem for, que atentem contra o espírito universitário e seus valores. O clube Universidad Nacional é uma instituição que promove o respeito, o comportamento íntegro, digno e profissional de seus jogadores e jogadoras dentro e fora do campo.

Mais cedo, a Liga BBVA MX, responsável pela primeira divisão do Campeonato Mexicano de Futebol, já havia se pronunciado sobre o caso. Em nota oficial, afirmara que definiria a situação do brasileiro juntamente com o Pumas assim que tomasse conhecimento da situação jurídica do lateral.

Daniel Alves era jogador do Pumas desde julho. Sua última partida foi no último dia 8, quando a Justiça Espanhola já havia aberto um procedimento para investigá-lo. Ele atuou por 45 minutos na vitória por 2 a 1 sobre o Juárez, pelo torneio Clausura.

A noite do suposto crime

Após a denúncia

A defesa do jogador

Depoimento e detenção

O brasileiro, que estava no México, retornou nesta semana à capital da Catalunha para testemunhar espontaneamente nesta sexta-feira.