Putin é flagrado em encontro tenso com comandante militar durante exercícios de guerra

Presidente da Rússia supervisiona exercícios militares na região de Primorsky

LONDRES (Reuters) - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, foi flagrado em um encontro constrangedor com seu chefe de gabinete militar nesta terça-feira, enquanto inspecionava exercícios de guerra no Extremo Oriente da Rússia, a milhares de quilômetros do conflito na Ucrânia.

O serviço de notícias militar Zvezda publicou um vídeo de Putin e do chefe do Estado-Maior, General Valery Gerasimov, entrando em uma cabine de observação, sentados com um amplo espaço entre eles e mantendo um silêncio desconfortável enquanto aguardavam a chegada do ministro da Defesa, Sergei Shoigu.

A linguagem corporal estranha atraiu o escrutínio de analistas políticos e militares nas redes sociais.

"Putin obviamente nem quer falar com o comandante das Forças Armadas russas", escreveu o ex-primeiro-ministro sueco Carl Bildt no Twitter.

Em um clipe separado, o clima parecia mais leve quando Putin e Shoigu foram mostrados trocando uma piada enquanto Gerasimov falava ao telefone.

Gerasimov esteve quase ausente da vista do público durante os 195 dias da guerra da Rússia na Ucrânia, provocando especulações sobre sua posição com Putin e até mesmo sobre sua saúde.

Ao prosseguir com o quadrienal jogos de guerra de "Vostok" (leste), Putin parece estar enviando um sinal de que as Forças Armadas da Rússia são capazes de operar normalmente, apesar das demandas da guerra.

Mas o Ministério da Defesa disse que os exercícios que começaram em 1º de setembro envolvem apenas 50 mil soldados, uma fração dos 300 mil que disseram ter participado em 2018. Analistas militares ocidentais dizem acreditar que ambos os números são exagerados.

(Reportagem de Mark Trevelyan)