Putin ameaça investir sobre 'novos alvos' se Ucrânia receber mísseis

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Horas depois de a capital ucraniana, Kiev, ter sido atingida pela primeira vez desde 28 de abril, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou, neste domingo, que Moscou atacará novos alvos se a Ucrânia receber mísseis de longo alcance do Ocidente.

Contexto: Ucrânia quer retomar negociações com a Rússia após reforço militar do Ocidente

Assista: Videográfico explica conflito iniciado com invasão russa em fevereiro

Diário da guerra: Mapas, fotos e vídeos revelam evolução dia a dia dos combates entre Rússia e Ucrânia

Se a Ucrânia receber mísseis de longo alcance, "então tiraremos as conclusões apropriadas e usaremos nossas armas para atacar alvos que não atingimos até agora", disse Putin, sem especificar a que tipos de alvos estava se referindo, segundo uma entrevista que será transmitida no domingo à noite pelo canal Rossiya-1.

Semana passada, os EUA anunciaram que vão fornecer à Ucrânia um sistema avançado de mísseis.

O prefeito de Kiev, Vitali Klitschko, relatou bombardeios ao amanhecer contra dois bairros da cidade. A Rússia indicou que, com esse ataque, destruiu veículos blindados entregues à Ucrânia por países do Leste Europeu.

— Mísseis de alta precisão e longo alcance disparados pelas forças aeroespaciais russas sobre o subúrbio de Kiev destruíram tanques T-72 entregues por países do Leste Europeu e outros blindados que estavam em hangares — disse o porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov.

As autoridades ucranianas não identificaram os locais precisos das explosões.

Reação: Rússia anuncia criação de novas bases militares no Oeste do país em resposta à expansão da Otan

Severodonetsk dividida

Enquanto isso, no coração de Severodonetsk, no Leste da Ucrânia, "lutas de rua" estão ocorrendo, mas os russos perderam terreno na cidade, disse neste domingo o governador de Lugansk, Sergei Gaidai.

"Os russos controlavam cerca de 70% da cidade, mas nos últimos dois dias eles foram repelidos. A cidade está dividida em duas, eles têm medo de se movimentar livremente nela", disse Gaidai, via Telegram.

Cem dias da guerra na Ucrânia: Exército de Kiev perde posições, e vidas, contra Rússia no Leste

Zelensky: Quase 20% do território da Ucrânia está sob controle russo

De acordo com o ministro da Defesa ucraniano, Oleksi Reznikov, "a Rússia continua se esforçando para ocupar todo o nosso estado".

O Kremlin sonha em "reunir as terras" que considera "suas", incluindo "Polônia, países bálticos, Eslováquia e outros", disse Reznikov.

Cem dias sem fim à vista: O que pode encerrar o conflito?

Representante de grupo antiminas: Foco na guerra da Ucrânia ainda é militar, e não humanitário

Historiador: Otan testa limites de Putin com eficácia, mas linhas vermelhas são incertas

Na frente sul, na região de Kherson, Moscou "continua a bombardear os territórios ocupados e as posições do exército ucraniano", anunciou o governo ucraniano, que teme uma crise humanitária nas áreas sob domínio russo.

O porto de Mykolaiv também foi atingido por um míssil, assim como uma empresa agrícola no grande porto de Odessa, onde "armazéns foram danificados" e duas pessoas morreram, segundo Kiev.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos