Putin apoia extrema direita para dividir Europa, diz Timmermans

O vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans, em Berlim, em 21 de março de 2017

O vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans, afirmou nesta quinta-feira que o presidente russo, Vladimir Putin, recebeu Marine Le Pen e apoia partidos de extrema direita para "dividir" a Europa.

"A razão pela qual Putin apoia a extrema direita na Europa é porque sabe que ela nos enfraquece e nos divide", disse Timmermans à Câmara dos Deputados na Espanha.

"Uma Europa dividida significa que Putin é o chefe", advertiu o vice-presidente do executivo comunitário.

"Está tratando de criar desunião ao convidar (Marine) Le Pen ao Kremlin", disse, em referência à visita a Moscou da líder da extrema direita francesa.

Em um raro gesto a um candidato presidencial tão perto das eleições, Putin recebeu Le Pen no dia 24 de março. A candidata de extrema direita lidera as pesquisas para o primeiro turno francês de 23 de abril.

Uma vitória de Le Pen seria "um desafio" para a União Europeia, advertiu Timmermans em um evento posterior na Fundação Carlos de Antuérpia, que promove a integração europeia. "Os nacionalismos e os extremismos nos enfraquecem", insistiu.

"No fim das contas, temos que esperar o veredito do povo francês, eu continuo confiando neste país", afirmou.

O político social-democrata disse que o "problema fundamental" para os países europeus é oferecer soluções para as populações "desencantadas", sobretudo as classes médias.

Caso contrário, "o desencanto continuará e abriremos as portas aos extremistas e populistas".