Putin assina extensão do tratado de desarmamento nuclear New START (Kremlin)

·1 minuto de leitura
O então primeiro-ministro russo Vladimir Putin recebe o então vice-presidente dos Estados Unidos Joe Biden, em Moscou, em 10 de março de 2011

O presidente russo, Vladimir Putin, assinou nesta sexta-feira (29) a extensão do tratado de desarmamento nuclear New START, após negociações concluídas in extremis esta semana entre Moscou e Washington para salvar o pacto.

"Vladimir Putin assinou a lei federal sobre a ratificação do acordo para a extensão do tratado entre a Rússia e os Estados Unidos, sobre medidas para reduzir e limitar as armas estratégicas ofensivas", infirmou o Kremlin em um comunicado.

Esta extensão do acordo tem duração de cinco anos, até 2026. Já havia sido aprovado pelo parlamento russo na quarta-feira. O texto anterior expirou em 5 de fevereiro.

Putin comentou na quarta-feira que a extensão do acordo foi um passo "na direção certa", mas alertou que a segurança global continua sob ameaça devido às crescentes tensões internacionais.

O New START é o último acordo bilateral desse tipo que liga as duas potências nucleares.

Sua prorrogação sugere uma melhora no diálogo entre Washington e Moscou, uma semana após a chegada de Joe Biden ao poder nos Estados Unidos, embora os dois países já tenham alertado que continuarão firmes em seus interesses nacionais.

O acordo, assinado em 2010, limita os arsenais de ambos a 1.550 ogivas cada um, ou seja, 30% a menos do que o fixado em 2002, e a 800 lançadores e bombardeiros pesados, número que, no entanto, ainda é suficiente para destruir a Terra várias vezes.

pop/sg/jz/eg/mr/bn